Airbus quer dobrar frota de aeronaves da América Latina nos próximos 18 anos

Embraer entrega quatro aeronaves de combate para a Força Aérea da Indonésia
Primeiro dirigível da América Latina realiza voo inaugural
Demanda no mercado aéreo doméstico já acumula 19 meses em queda

airbus-aviao-lufthansa

De acordo com a mais recente pesquisa de mercado da Airbus, a América Latina precisará de 2.540 novas aeronaves de passageiros e carga entre 2016 e 2034 para atender ao crescimento de longo prazo na região. Essa demanda inclui 1.990 aviões de um corredor e 550 de fuselagem larga como o A330, o A3350 XWB e o A380, no valor estimado de US$ 330 bilhões.

+ Ceva Logistics busca contratos em outros seguimentos para escapar da crise no setor automotivo

Essa demanda significará que a frota de aviões de passageiros e cargas operados pelas companhias aéreas da região mais que dobrará para quase 3 mil aeronaves nos próximos 20 anos. Atualmente, 53% da frota em serviço na América Latina é de aviões Airbus, operados pelas principais companhias aéreas da região. Isso inclui o primeiro A350 XWB das Américas, entregue ao Grupo LATAM Airlines em janeiro e operado pela TAM.

O tráfego na América Latina crescerá em uma média de 4,7% ao ano nos próximos 20 anos, acima da média mundial de 4,6 por cento. O motor desse crescimento serão as companhias aéreas da região, com aumento de 5% ao ano, o que as coloca entre os três grupos de companhias aéreas de crescimento mais rápido do mundo.

+ Transzilli compra15 caminhões Iveco Hi-Way para renovar frota

A urbanização da região latino-americana é um fator que impulsiona esse crescimento já que é uma das mais urbanizadas do mundo, perdendo apenas para a América do Norte, com cerca de 80 por cento de sua população vivendo em cidades. Um crescimento econômico consistente também levará ao aumento do tráfego na região; segundo a pesquisa, nos próximos 20 anos, o PIB anual da América Latina deve crescer a uma taxa de 3,6 por cento, acima dos 3,2 por cento no mundo. Além disso, os passageiros da região terão um papel importante no incentivo ao crescimento do tráfego, fazendo em média mais que o dobro de voos até 2034 do que fazem atualmente.

+ Porto de Antonina (PR) receberá quase R$ 115 milhões em investimentos

 

COMMENTS