Tegram (MA) receberá R$ 130 milhões em investimentos para expansão após primeiro ano de bons resultados

Cuiabá (MT) terá mais R$ 90 milhões do PAC para infraestrutura
Grupo CCR inaugura aeroporto no Equador
Mercedes-Benz vende 357 Atron para o governo de MG

terminal-graos-maranhao

Os resultados positivos apresentados pelo Terminal de Grãos (Tegram), do Porto do Itaqui (MA), em seu primeiro ano de funcionamento possibilitaram a antecipação da segunda fase de expansão, que receberá investimentos de R$ 130 milhões.  As obras tem início previsto para o segundo semestre de 2016 e vão duplicar a capacidade de escoamento produtivo do porto: passará de cinco milhões para 10 milhões de toneladas.

+ Rumo Logística investirá mais de R$ 300 milhões no Porto de Santos (SP)

Os recursos do Consórcio Tegram- Itaqui serão aplicados na infraestrutura de operação para mais um berço de atracação, com mais um ship-loader e na ativação de nova linha, que permitirá dobrar a capacidade da moega ferroviária, passando a descarregar quatro mil toneladas de grãos – como soja, milho e farelo de soja – por hora.

“Este é mais um marco importante para o Porto do Itaqui, mais uma notícia positiva, principalmente, dentro do cenário adverso que o Brasil está vivendo. Este é um processo que ia ser iniciado daqui a dois ou três anos, mas foi adiantado, e estamos muito ansiosos para que possa trazer frutos para o Maranhão”, disse o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago.

+ Tecon Imbituba cresce em operações do seguimento de cargas não conteinerizadas

De acordo com o presidente do Consórcio Tegram, Luiz Cláudio Santos, a movimentação surpreendente e crescente da produção pelo Porto do Itaqui permitiu o adiantamento da nova fase do Terminal de Grãos, a partir da construção de um novo berço.

“Com o crescimento das movimentações no ano passado e a previsão para este ano, estamos antecipando as obras da segunda fase para que a construção seja feita ao longo de 2016 e 2017 e inicie a operação em 2018. Atingimos números que eram previstos para acontecer em mais tempo. Temos uma espécie de gatilho com a Emap, à medida que se alcançasse 4,5 milhões de toneladas, já seria possível a movimentação para investimento na segunda fase para conseguir o aumento da exportação”, afirmou Luiz Cláudio Santos.

+ Saiba tudo do mundo do transporte e da logística. Curta nossa página no Facebook!

COMMENTS