SEP dá aval para início de obras no sistema viário do Porto de Santos

Para escoar safra recorde, Paranaguá (PR) reduz tempo de carregamento de grãos
Governo negocia ampliação do Ferroanel de São Paulo
Em dois anos, Paraná quadruplica investimentos em aeroportos

transito-caminhos-santos

A Ordem de Serviço para início das obras do trecho do canal 4–Ponta da Praia, da Avenida Perimetral Portuária de Santos, foi assinada  pelo ministro Helder Barbalho, da Secretaria de Portos. “Certamente esta é uma obra que permitirá facilitar o tráfego de cargas, compatibilizando modais, com intervenções importantes como a construção dos viadutos,  mas é também um empreendimento que trará maior organização urbana. Santos, que sedia o maior porto do país, merece o bem estar do cidadão, contando, através de iniciativas como esta, a possibilidade de garantir a cada cidadão uma melhor qualidade de vida e retribuindo à cidade o protagonismo que seu porto tem”, destacou o ministro.

+ Chineses avançam em projeto de construção de mega ferrovia no Brasil

A partir da assinatura da Ordem de Serviço pelo ministro, nesta segunda-feira já se iniciam as reuniões com a empresa construtora da obra para se ajustar o cronograma e definir estratégias que permitam tocar a obra com o mínimo de impacto no tráfego da região.

O empreendimento fará adequações nas avenidas Mário Covas, conhecida como avenida Portuária, e Ismael Coelho de Souza, a chamada avenida interna, vias situadas entre o canal 4 e a Ponta da Praia, que compõem o sistema viário do Porto de Santos, que terão como principal intervenção a implantação de um conjunto de dois viadutos que eliminarão, definitivamente, o conflito rodoferroviário. A obra promoverá maior agilidade no tráfego dos terminais localizados na região, solucionando um significativo gargalo entre o tráfego de contêineres e de granéis vegetais.

+ Ministério dos Transportes aprova estudos para construção de ferrovia entre Sinop e Pará

O projeto contempla, ainda, a transferência das linhas férreas de acesso ao Corredor de Exportação de Granéis Sólidos de Origem Vegetal, que hoje passam no meio de terminais, se deslocando, em média, 50 metros em direção à avenida Mário Covas Júnior, ampliando os ramais ferroviários até o Corredor de Exportação e possibilitando o adensamento de áreas hoje não operacionalizadas. Serão implantadas quatro linhas férreas, em aporte à demanda de utilização do modal ferroviário. Com essa nova concepção, serão também eliminadas as filas de caminhões de transporte de contêineres, recorrentes na avenida.

A obra é dividida em três partes: a construção dos viadutos (de entrada e de saída) e pontilhões ferroviários, o remanejamento de interferências e a revitalização da avenida Mário Covas júnior e, a terceira parte, a readequação da atual avenida interna (dentro da área portuária) com a relocação dos ramais ferroviários.

Novo traçado

O viaduto de entrada parte do terreno antes ocupado pela empresa Lloydbratti, na pista sentido Ponta da Praia, da avenida Mário Covas Júnior, transpondo a avenida sobre o Pátio de Contêineres do Armazém XXXVI, até atingir o trecho  atualmente ocupado pelo pátio ferroviário e pela avenida interna (Avenida Ismael Coelho de Souza) que se tornará área adensada às instalações da  Libra Terminais. O viaduto de saída segue contíguo ao de entrada, saindo da área interna do Porto e fazendo o desemboque na pista da avenida Mário Covas Júnior, sentido Macuco.

+ Governo autoriza a concessão da Rodovia do Frango

Com a implantação desse complexo de viadutos, com duas faixas de rolamento em cada sentido e vão com altura de 6,75 metros,  fica segregado o tráfego rodoviário entre veículos de  contêineres e de grãos e farelo. Todo o tráfego de contêineres será absorvido pelos viadutos, mantendo-se na avenida Mário Covas Júnior o trânsito dos veículos que demandam ao Corredor de Exportação. A atual Avenida Portuária (Mário Covas Júnior) terá seu traçado de 3,1 quilômetros mantido com alguns ajustes e passará por uma completa reurbanização em toda sua extensão, abrangendo  reforma do pavimento, nova iluminação e paisagismo, enquanto a avenida interna será mantida desde as instalações da Capitania dos Portos até o armazém 33.

O investimento está orçado em R$ 72,4 milhões. O cronograma inicial prevê prazo de 30 meses para conclusão dos serviços.

+ Saiba tudo do mundo do transporte e da logística. Curta nossa página no Facebook!

COMMENTS