Principal rodovia do Oeste de Santa Catarina tem problemas críticos de manutenção, aponta estudo

Melhores trechos rodoviários do país estão no Sudeste
Centro-Oeste precisa de R$ 36,4 bilhões até 2020 para aprimorar escoamento
Antaq realiza leilão de duas áreas do Porto de Santarém (PA)

estrada esburacada

Um estudo feito pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC) e apresentado na última semana a empresários do transporte denuncia as péssimas condições da BR-282, principal rodovia do Oeste Catarinense. De acordo com o levantamento, 0s serviços de manutenção feitos na rodovia estão aquém da necessidade e não garantem fluidez ao tráfego, colocando em risco a segurança dos usuários e a economia do Estado.

+ Frete sofre com defasagem de quase 13%, diz NTC

A rodovia é a principal ligação aos portos de Santa Catarina e há pelo menos 10 anos aguarda pela duplicação. Os dados levantados serão a base de uma reunião entre os dirigentes da Federação e o Ministério dos Transportes ainda no mês de fevereiro.

Cerca de 70% das obras federais em SC estão atrasadas com cronograma comprometido, paradas ou com problemas de projeto, a Fiesc em alinhamento com Fórum Parlamentar tem cobrado junto as autoridades, como Ministério dos Transportes e Dnit.

+ JAC Motors desiste de projeto ambicioso e fábrica brasileira será 5 vezes menor

Para a elaboração do estudo engenheiros percorreram a BR-282 durante o mês de novembro. Segundo o levantamento, há trechos com afundamento, desagregação e recalques na pista, causados pela falta de manutenção, restauração e conservação da rodovia, que liga o Extremo-Oeste ao litoral catarinense.

O trabalho, que tem apoio do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA), também faz um panorama da situação das BRs 163 e 158. Segundo a Fiesc, faltam novas frentes de trabalho, já que as obras existentes se encontram em um ritmo lento e não contemplam todo o trecho.

+ Saiba tudo do mundo do transporte e da logística. Curta nossa página no Facebook!

 

COMMENTS