JAC Motors desiste de projeto ambicioso e fábrica brasileira será 5 vezes menor

DHL chega a Salvador (BA) apostando em empresas com incentivos fiscais
ANTAQ libera ampliação da Ponta Norte do Porto de Salvador (BA)
Volvo VM mostra bom desempenho comercial para aplicações de Bombeiros

jac-caminhao-leve-navistar

A JAC Motors desistiu de ir adiante com o plano de construir fábrica para 100 mil carros por ano no Brasil anunciado em 2011, mas que não avançou. Agora a montadora pretende apenas montar veículos no Brasil a partir de kits importados da matriz chinesa, sem a pretensão de instalar linha de produção completa.

+ Iveco Bus vence licitação de 417 micro-ônibus ao Governo de Minas Gerais

A planta terá capacidade para 20 mil unidades anuais, com início da operação previsto para o primeiro trimestre de 2017 com o utilitário esportivo T5.  A unidade será instalada na Bahia. A empresa ainda pondera se vai construir a estrutura necessária no terreno que já tem na cidade de Camaçari ou se o melhor é alugar um espaço já pronto em outro município.

O novo projeto demandará investimento de R$ 200 milhões, frente ao aporte de R$ 1 bilhão necessário para o concretizar o plano anterior.

+ Ativa Logística cresce 18% em 2015 e expande operação com unidades em Resende (RJ) e Juiz de Fora (MG)

O negócio continuará amparado pela matriz da empresa, que garantirá boa parte da infraestrutura, como máquinas e projetos de engenharia, mas caminhará de forma independente. Em 2011, ano em que fez sua estreia no Brasil, a empresa vendeu 3 mil carros em seu primeiro mês cheio de atividades, com apenas dois modelos no portfólio, o hatchback J3 e o sedã J3 Turin. Na época a meta era alcançar vendas anuais de 35 mil veículos. As coisas, no entanto, não evoluíram como o esperado e em 2015 a empresa terminou o ano com pouco mais de 5 mil carros emplacados, apesar de ter oito modelos no catálogo.

Mesmo ainda acreditando no mercado brasileiro, a companhia tem dificuldades para cumprir o compromisso com o governo firmado quando se habilitou como investidora no Inovar-Auto, regime automotivo que entrou em vigor em janeiro de 2013.

+ Porto do Itaqui (MA) bate recorde de movimentação de cargas e cresce 21% em 2015

O programa impõe o adicional de 30 pontos porcentuais no IPI das empresas que não cumprirem algumas exigências, como atingir metas de eficiência energética. Além disso, a política industrial concede cota de 4,8 mil carros que pode ser importada anualmente sem a alíquota majorada. No caso das montadoras que se inscreveram com programas de investimento no Brasil, o Inovar-Auto concede crédito presumido de IPI para a importação de carros até que a produção local seja inaugurada. Este é um dos compromissos que podem ter influenciado a empresa a investir na montagem local mesmo com a queda do mercado.

Com informações da Automotive Business

+ Saiba tudo do mundo do transporte e da logística. Curta nossa página no Facebook!

COMMENTS