Volta do Finame atrapalha vendas de caminhões no mês e piora números de 2015

Prorrogação da linha de crédito melou as negociações em andamento e a queda em relação ao ano passado chegou a quase 50%

Iveco Stralis terão tanque de alumínio e ar condicionado de série
Empresa mineira compra 23 novos caminhões Volkswagen
Multas: dor de cabeça que pode custar a profissão

producao-caminhoes-patio

As vendas de caminhões no país retraíram 18% em novembro ante outubro. No acumulado dos 11 meses, as 66 200 unidades vendidas aprofundam a queda no comparativo anual para 46,3%. Os dados do Renavam divulgados na terça-feira (1º) pela associação dos concessionários, a Fenabrave, demonstram que a retomada dos financiamentos pela linha do BNDES Finame PSI, anunciada no início de novembro, não ajudou em nada a aquecer os negócios no fim do ano.

+ Saiba o que a JSL procura em um motorista (e o que ela não aceita de jeito nenhum)

“Esse anúncio mais atrapalhou do que ajudou. Existiam muitas negociações em andamento que simplesmente pararam. Existem agora milhares de pedidos parados à espera de aprovação no BNDES”, explica João Pimentel, diretor geral da Ford Caminhões.

No fim de outubro, o governo cancelou desembolsos da linha Finame-PSI, um mês antes do que era normalmente esperado pelo mercado. Após pressões dos fabricantes em Brasília, o financiamento foi retomado, mas os pedidos só foram aceitos até o dia 27 de novembro. Contudo, como o BNDES pode demorar mais de um mês para analisar cada proposta, muitos negócios ficaram represados, podem até ser concretizados este mês, mas isso impactou negativamente no resultado de novembro.

+ PF cumpre mandados por contrabando de aparelho gerador de poluição em caminhões

ÔNIBUS

As vendas de ônibus também seguem em queda profunda em 2015, ainda que a amplitude do tombo seja um pouco menor. De janeiro a novembro foram emplacadas 18 700 unidades, o que significa retração de 35,9% em comparação com o mesmo intervalo de 2014. Somente em novembro o número de ônibus vendidos somou 1 100, em leve alta de 1,6% sobre outubro, mais em baixa de quase 58% ante o mesmo mês do ano passado.

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

COMMENTS