Transporte aéreo de órgãos para transplante será ampliado

Com renovação do acordo e novas regras, será possível transportar, também, medula óssea

Bombardier entrega jato executivo Global 5000 para a Jana Aviation
Azul inaugura seis novos voos partindo de Recife
Boeing prevê demanda de mais de 38 mil aviões até 2035

Transplante aéreo

O acordo que mantém uma rede nacional para facilitar o transporte aéreo de órgãos e tecidos para transplante foi renovado, nesta quinta-feira (3), e conta com novidades para ampliar e aprimorar o serviço. A partir de agora, os aviões também poderão levar medula óssea, o que é possível graças à criação de um fluxo específico de transporte, sem que o tecido precise passar pela esteira de raio-x, o que poderia deteriorá-lo. 

+ Braspress admite escassez de profissionais, mas é rígida para contratar motoristas

Além disso, o acordo passa a incluir medidas de prevenção à perda de órgãos por meio de uma logística desburocratizada, incorpora novas empresas signatárias e melhora a comunicação entre parceiros envolvidos no processo de transporte de órgãos e tecidos, bem como de equipes médicas.

A parceria, que começou em 2013, permite que uma equipe do Ministério da Saúde, acompanhe o tráfego aéreo dentro da sala do CGNA/RJ (Comando de Gerenciamento de Navegação Aérea no Rio de Janeiro), 24 horas por dia, em regime de plantão. Com isso, o órgão é alocado no voo imediato mais conveniente, evitando a perda do material, já que a comunicação é direta com os órgãos de aviação. Além disso, as aeronaves que estão prestando o serviço, feito gratuitamente, têm prioridade em pousos e decolagens.

+ IBEX: o novo operador logístico que aposta em pequenos empreendedores

Nesses dois anos, foi possível triplicar o número de voos disponíveis para transportar órgãos no Brasil e a quantidade de itens também. Entre 2012 (quando vigorava uma parceria com as empresas aéreas, sem os órgãos da aviação) e 2013 (quando o novo acordo começou), o crescimento foi de quase 90%. O número passou de 3,5 mil para 6,7 mil. Entre 2013 e 2014, o incremento foi de 18%. No ano passado, foram 7,9 mil órgãos e tecidos transportados de avião.

A renovação do documento foi assinada pelos ministros da Saúde, Marcelo Castro, e da Aviação Civil, Eliseu Padilha, durante o II Fórum de Logística do Sistema Nacional de Transplantes. Também fazem parte do acordo a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), a Aneaa (Associação Nacional das Empresas Administradoras de Aeroportos), o Comando da Aeronáutica, a Infraero, as companhias aéreas TAM, Gol, Avianca, Azul e Passaredo, as concessionárias aeroportuárias e a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

COMMENTS