LOGZ vai investir 1,8 bilhão de reais em infraestrutura e logística em 2016

Empresa não se intimidou com a instabilidade político-econômica do país e pretende fortalecer diversos setores das suas operações logísticas

Volkswagen investirá R$ 460 milhões na fábrica de motores de São Carlos
Dnit assina acordo de R$ 270 mi para modernização da hidrovia Uruguai-Brasil
Petrobras e Guarani planejam produzir etanol em Moçambique

logistica-porto-conteineres

A LOGZ Logística Brasil S/A planeja investir 1,8 bilhão de reais em 2016 no desenvolvimento de novos empreendimentos logísticos e na ampliação das operações já existentes. O aporte será dividido entre o fortalecimento de suas atividades em Santa Catarina e a expansão do portfólio para outras regiões, sobretudo Sudeste e Norte, sejam terminais portuários ou operações logísticas de interior, algumas com ênfase na navegação fluvial.

+ São Paulo prepara novo pacotão de concessões para o transporte

De acordo com o diretor de Investimentos e Operações da LOGZ, Roberto Lopes, embora haja ainda um clima de expectativas com relação ao ambiente político no país – o que impõe mais critério e rigor na escolha e aprovação dos empreendimentos -, não houve qualquer paralisação ou retrocesso em relação aos projetos. “De forma geral, até o momento não vemos uma crise que gere um entrave ao desenvolvimento de nossos planos”, afirma.

+ Volvo é destaque na Fenatran, mas modelos ficam 8% mais caros em 2016

Entre os planos da LOGZ para 2016 estão o desenvolvimento de um sistema integrado de logística para escoamento de grãos no Arco Norte (Região Norte); o desenvolvimento do TERLIP, terminal dedicado a movimentação de grãos em Paranaguá, no Paraná; e a implementação do Terminal de Grãos de Santa Catarina (TGSC), a extensão do prazo de arrendamento do Terminal de Contêineres de Santa Catarina (TESC), ambos em São Francisco do Sul, bem como a expansão do Terminal de Contêineres do Porto Itapoá, também no norte catarinense.

+ Caminhoneiros em greve serão multados em 1 915 reais

Roberto Lopes entende, contudo, que, no setor de logística portuária, alguns pontos seguem merecendo atenção especial por parte do Poder Público, no sentido de agilizar processos e destravar novos investimentos. “Creio que, embora já tenham havido avanços, ainda precisamos de mais celeridade nos processos de licitação dos arrendamentos, nas autorizações para os TUPs (Terminais de Uso Privado), nos licenciamentos ambientais, na definição das novas poligonais nos portos organizados e nas obras de dragagem”, ressalta o diretor da LOGZ. Ele destaca que a questão relativa às poligonais é de extrema importância para o setor e para a LOGZ, lembrando que portos importantes, como Paranaguá, demandam uma definição técnica e urgente, que permita o desenvolvimento de investimentos naquela região.

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

 

 

COMMENTS