Caminhoneiros em greve serão multados em 1 915 reais

Ministro da Justiça determinou que Polícia Rodoviária aplique a punição aos grevista que já bloquearam vias em 14 Estados

Ford retomará Série F no Brasil e inicia produção dos Cargo extrapesados
Óleo diesel permanece com preço estável em junho
Período de restrição a caminhões na rodovia Castello Branco (SP) é estendido

fila-caminhao-greve

O governo determinou nesta segunda-feira (9) que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) aplique multa de 1 915 reais aos caminhoneiros que bloquearem estradas. Os protestos da categoria afetaram rodovias e avenidas de 14 Estados. O movimento grevista foi organizado por motoristas autônomos desvinculados dos sindicatos e não tem previsão para acabar.

+ Caminhoneiros em greve fecham rodovias em seis estados

“Nós determinamos que sejam multados todos aqueles que fecharem estradas”, disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. A multa já é prevista na legislação brasileira, mas o governo cobrou com mais ênfase o seu cumprimento. Além de aplicar a punição, a Polícia Rodoviária Federal também foi orientada a liberar as vias bloqueadas.

“No caso de interdição de estradas, nós determinamos a PRF que atue através do efetivo necessário para desobstruí-las e garantir que aqueles caminhoneiros que queiram trabalhar tenham sua liberdade de ir e vir inteiramente assegurada”, disse Cardozo.

O ministro classificou o movimento como “político” e afirmou que não há como negociar com os líderes. “Não há uma pauta de reivindicações. Não temos a possibilidade de negociar em cima de questões que não são apresentadas. É uma pauta política. Lamentamos que seja assim”, afirmou ele.

+ Financiamentos de pesados estão comprometidos com o fim do Finame PSI

Os manifestantes pedem a redução do preço do óleo Diesel, a criação do frete mínimo, salário unificado em todo o país e crédito com juros subsidiados no valor de 50 000 reais pra transportadores autônomo.

Apesar de Cardozo ter considerado o movimento grevista “pulverizado”, por não ter adesão dos principais sindicatos da categoria, a paralisação causa preocupação no Palácio do Planalto por ressuscitar a onda de protestos num momento em que a presidente Dilma sofre ameaça de impeachment.

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

COMMENTS