Balança comercial brasileira de autopeças apresenta déficit de US$ 3,88 bi nos primeiros sete meses de 2015

Queda registrada foi 32,4% menor, em comparação com o mesmo período do ano passado

Grupo Comolatti abre duas novas unidades de autopeças no Centro-Oeste
Mercedes amplia presença da Alliance no Brasil para reforçar participação no mercado de reposição
Mercedes-Benz ultrapassa marca de venda de 75 mil peças remanufaturadas

autopecas-fabricacao-fabric

A balança comercial brasileira de autopeças apresentou um decréscimo de US$ 3,88 bilhões no acumulado de janeiro a julho. De acordo com o Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores), a atual retração de mercado e a também desvalorização do real não foram suficientes para impedir o déficit, mas no acumulado dos oito meses ele se mostrou 32,4% menor que o consolidado em igual período de 2014.

No período analisado, houve recuo em exportações e importações, respectivamente em 6,5% e 20,5%, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Os embarques somaram US$ 4,54 bilhões e as compras externas atingiram US$ 8,4 bilhões.

A Argentina, que é o principal destino das exportações brasileiras, absorveu US$ 1,52 bilhão em autopeças de janeiro a julho, valor 7,9% menor que o do mesmo período de 2014.

No caminho inverso, os Estados Unidos permanecem como maior origem dos componentes utilizados no Brasil. No entanto, a soma de US$ 1,05 bilhão em compras daquele país resultou em queda de 14,1% ante os mesmos meses do ano passado.

COMMENTS