Câmara dos Deputados lança plano de ações do Projeto Trânsito Seguro

Dentre as iniciativas previstas estão o aumento da fiscalização, melhoria na qualidade das vias e educação

Polícia desmantela base usada por quadrilha de roubo de caminhões e de cargas, na Grande SP
DC Logistics promove ação ambiental
RTE Rodonaves promove nova edição da campanha Semeando o Bem

projeto-plano-transito

Foi lançado nesta terça-feira (18/8), no auditório Freitas Nobre da Câmara dos Deputados, o plano de ações do Projeto Trânsito Seguro. Esta iniciativa da Fenasdetran (Federação Nacional das Associações de Detrans) está inserida na Década de Ação Pela Segurança no Trânsito, instituída pela Organização Mundial de Saúde para os anos de 2011 a 2020.

O conjunto de ações previstas parte da necessidade de aumentar a fiscalização, melhorar a qualidade das vias, além de educar as pessoas para aprimorar a segurança no trânsito.

“Hoje, por exemplo, no Brasil, irão morrer em média 130 pessoas e haverá mais ou menos 1.300 acidentes; desses 1.300, 130 morrerão e, em média, 550 pessoas ficarão com sequelas. Umas com sequelas simples e outras com sequelas irreversíveis para o resto da vida”, comenta o presidente da federação, Mário Conceição. Ainda de acordo com o dirigente, o governo gasta cerca de R$ 40 bilhões por ano em despesas que vão da remoção dos acidentados até o pagamento de indenizações com seguro obrigatório.

Além disso, 75% dos leitos hospitalares em hospitais públicos estão ocupados com pessoas vitimadas em acidentes de trânsito. De acordo com o Ministério da Saúde, foram 42.266 mortes por acidentes de trânsito, em 2013, e 201 mil feridos, em 2014. Nesse mesmo ano, houve o pagamento de 52.200 indenizações por morte e 596 mil por invalidez.

O Brasil é um dos países que assinaram em 2009 a resolução das Nações Unidas que prevê o compromisso de realizar mais de 10 mil ações educativas em todo o País no período.

O plano de ações prevê uma série de ações dos Detrans em escolas públicas de ensino, associações comunitárias e universidades, além de fortalecer a relação com órgãos públicos de todo o País. Também poderá ser realizada a construção do Museu do Trânsito Nacional, em Brasília, para reunir registros históricos e científicos do trânsito no Brasil.

“O que nós estamos fazendo aqui hoje é juntar esse esforço, da Frente Parlamentar do Trânsito Seguro, dando apoio ao evento da Fenasdetran. Porque exatamente eles buscam os objetivos que nós também buscamos: o aprimoramento da legislação, ampliação e melhoria da fiscalização e, obviamente, resultados melhores com redução de acidentes, menos mortos, menos feridos, menos famílias tristes”, diz o coordenador da Frente Parlamentar pela Segurança no Trânsito, deputado Hugo Leal (Pros-RJ).

Com informações da Agência Câmara

COMMENTS