Porto de Antonina (PR) volta a operar com carregamento de açúcar

Após um ano e meio operando apenas com fertilizantes, administração portuária prevê carregar 200 mil toneladas do derivado da cana-de-açúcar pelo terminal

Movimentação nos portos paranaenses cresce 5% entre janeiro e julho
DTA Engenharia vence licitações portuárias de mais de R$ 55 mi em SP e PR
Portos de Paranaguá e Antonina registram crescimento de 22% na movimentação de cargas em 2010

antonina-porto-carregamento

O Porto de Antonina (PR), depois de um ano e meio operando apenas com fertilizantes, recebeu nesta semana um segundo navio para carregar açúcar. Na ocasião, foram embarcadas 14 mil toneladas do produto, com destino a Mauritânia, país do oeste da África.

Agora já chega a 28 mil toneladas o volume embarcado, só até abril. A expectativa para este ano é que sejam carregadas 200 mil toneladas pelo terminal. De 2007 a 2009, não houve movimentação do produto em Antonina.

A operação com açúcar está sendo possível graças aos investimentos de aproximadamente R$ 70 milhões feitos nos últimos quatros anos pela Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina) no complexo portuário, e que inclui também o terminal Barão de Teffé e terminal Ponta do Félix.

“Estamos devolvendo condições de competitividade ao porto de Antonina, que tinha ficado quase 40 anos sem investimentos públicos”, afirma o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

A obra de dragagem aumentou a profundidade do canal de acesso ao porto de sete metros para 9,3 metros. Com a dragagem, navios passaram a operar em sua máxima capacidade.

Nos navios de fertilizantes, a capacidade de carregamento em Antonina passa de 18 mil para 30 mil toneladas. No caso embarque de açúcar, a movimentação potencial passa de 14 mil toneladas para 20 mil toneladas.

Com informações da Agência Paraná

COMMENTS