Safra 2014/2015 no Brasil poderá registrar aumento de cerca 6,5 milhões de toneladas

Safra 2014/2015 no Brasil poderá registrar aumento de cerca 6,5 milhões de toneladas

Conab prevê incremento de 9,8% na produção da soja, chegando a uma produção de 94,58 milhões de toneladas

Governo leiloa novos fretes de milho
Agronegócio atinge 51,5% das exportações brasileiras em maio
Clima seco e quente ameaça desempenho da safra de soja 2014/15

safra-graos

Conforme o 5º levantamento da safra 2014/2015, apresentado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) no dia 12/2, a produção deverá ter um aumento de cerca 6,5 milhões de toneladas em relação ao período anterior.

A soja é o destaque entre as produções. E para esta cultura está previsto incremento na ordem de 9,8%, o que equivale a um acréscimo de 8,4 milhões de toneladas, chegando a uma produção de 94,58 milhões de toneladas.

O total de área destinada ao plantio de grãos deve passar de 57,03 milhões na safra passada para 57,39 milhões de hectares, o que representa uma alta de 0,6% e um acréscimo de aproximadamente 359,9 mil hectares. Dentre os principais produtos, também se destaca a soja, com um crescimento de 4,4%, passando de 30,17 para 31,51 milhões de hectares.

O algodão deve ter redução de área nesta safra, sendo 11,2% inferior à safra 2013/14, principalmente em razão da redução de consumo, preços praticados e excesso de estoque no mercado interno e externo. A segunda safra está sendo plantada e a expectativa é de que a área total no Brasil seja de 995,8 mil hectares.

Este levantamento também apresenta a primeira estimativa para as culturas de segunda safra plantadas na Região Centro-Sul. A expectativa é uma redução de 2,5% na área de milho, passando de 9,21 para 8,98 milhões de hectares.
A pesquisa foi realizada entre os dias 18 e 24 de janeiro.

Segundo o Diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, João Marcelo Intini, o cenário é de tranquilidade.

“Estamos fazendo um acompanhamento permanente das questões climáticas e podemos assegurar que a produção agrícola segue dentro de um padrão de normalidade”, disse.

COMMENTS