Feriado de Carnaval de 2015 registrou o menor número de mortes nas BRs dos últimos oito anos

Ao todo, foram 120 óbitos em 2,7 mil acidentes; velocidade incompatível com a via foi a principal causa de ocorrências

Aspectos cíveis e criminais dos acidentes de trânsito envolvendo transportadoras
Férias sim, acidentes não! Vá e volte!
Projeto estuda cadastro de motoristas alcoolizados e agrava pena para a infração

acidentes-transito-homeA PRF (Polícia Rodoviária Federal) divulgou um balanço nesta quinta-feira (19/2) e constatou que o feriado de Carnaval deste ano registrou o menor número de mortes nas rodovias federais dos últimos oito anos.

Ao todo, foram 120 óbitos em 2,7 mil acidentes. Além disso, também houve um saldo de 1,7 mil feridos. No feriado de 2014, morreram 159, dois mil ficaram feridos e ocorreram 3,3 mil colisões.

Até então, o menor resultado havia sido registrado em 2009, quando 127 pessoas perderam a vida em acidentes nas federais.

Neste ano, houve 1,3 óbito para cada milhão de veículos. Isso representa uma queda de 41% com o índice de 2014, quando foram 3,3 mortos por milhão de veículos.

O balanço aponta que a velocidade incompatível com a via foi a principal causa de ocorrências (26%) e as colisões frontais são o tipo de acidente com maior gravidade e quantidade de óbitos (45%).

Segundo o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, os resultados têm influência na estratégia de fiscalização, que priorizou pontos considerados mais críticos, além de alterações na legislação, que agravaram a punição por infrações de trânsito, como é o caso da multa por ultrapassagens perigosas, que desde novembro passado podem chegar a R$ 1.915,40.

Minas Gerais, Paraná e Bahia tiveram reforço de fiscalização, por terem liderado em número de ocorrências e mortes em 2014. Nesses estados, a redução no total de mortes em BRs foi de, respectivamente, 47%, 67% e 39%.

Apesar disso, Minas ainda está no topo da lista dos estados com o maior índice de óbitos em rodovias federais: 14 pessoas perderam a vida nas BRs no Estado. Em segundo aparecem Maranhão e Distrito Federal, com dez mortes cada.

Ao todo, 238,5 mil pessoas foram fiscalizadas, 2,9 mil tiveram a carteira de habilitação recolhida por infrações que previam a medida.

Entre os dias 13 e 18 de fevereiro, 372 motoristas foram presos pela PRF por estarem dirigindo bêbados. Outros dois mil condutores foram multados em R$ 1.915,40 por embriaguez ao volante. Ao todo, a PRF aplicou 85,6 mil testes do bafômetro.

Com informações da CNT

COMMENTS