Cai número de mortes e acidentes em rodovias federais

8.227 óbitos foram totalizados em 2014, enquanto que em 2013 foram registrados 8.425, o que representa uma queda de 2,3%

Anel Rodoviário de Belo Horizonte (MG) tem maior controle de velocidade
Projeto de Lei autoriza agentes de trânsito a manipular cronotacógrafo
Valores do prêmio tarifário do Seguro DPVAT serão menores em 2017

acidentes-transito-numeos

De acordo com dados de um balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal nesta segunda-feira (9/2), houve queda nos números de mortes e de acidentes nas rodovias brasileiras em 2014, em comparação com os incidentes registrados em 2013.

Ao todo, o ano passado correspondeu a 8.227 óbitos contra 8.425 no ano anterior, o que significa uma redução de 2,3%. Além disso, 168.593 acidente foram calculados em 2014, o que resultou em uma diminuição de 9,6% em comparação com os 186.698 ocorridos em 2013.

A polícia afirmou que a maior parte das colisões são causadas por falha humana, como falta de atenção (32%), dirigir em velocidade maior do que a permitida para a via (20%) e ultrapassagens indevidas (12%). A colisão traseira representa a maioria dos acidentes, porém, não é a mais letal. O tipo que mais mata nas estradas brasileiras são as batidas frontais e os atropelamentos, disse o órgão.

Conforme o estudo, as batidas acontecem mais às sextas, aos sábados e domingos. Já a maioria das vítimas fatais tem entre 25 e 38 anos. Em relação às mortes, 57% das ocorrências registraram óbito do motoristas, 28% dos passageiros e 25% dos pedestres.

A PRF disse que 73% dos acidentes e mortes nas estradas brasileiras ocorrem em retas. Segundo o coordenador da operação Rodovida, O inspetor Stênio Pires, quando a batida é causada por falha humana, geralmente o condutor já está cometendo alguma infração.

Já 53% dos acidentes acontecem em zonas urbanas, mas 70% do total de mortes acontecem em zonas rurais, onde são mais comuns as colisões frontais, com maiores índices de vítimas.

A maior parte dos veículos envolvidos em batidas são carros, seguidos por caminhões-trator, caminhões e motocicletas.

Minas Gerais é o Estado que mais contabiliza acidentes, seguido de Santa Catarina, Paraná e o Rio de Janeiro. A Bahia é o local com as batidas mais graves. A PRF alega que isso acontece por conta da grande quantidade de pistas simples no Estado e da grande circulação de veículos devido ao turismo.

COMMENTS