Avianca opera com 17 novos slots no Aeroporto de Congonhas (SP)

Avianca opera com 17 novos slots no Aeroporto de Congonhas (SP)

Companhia aérea passa a contar com 41 frequências na unidade da capital paulista; duas novas aeronaves A320 serão entregues até o fim do mês

Aeroporto de Guarulhos (SP) recebe certificação para operar sistema de pousos inédito no Brasil
Hermanos nos céus brasileiros
Helibras recebe autorização para montagens de caixas de transmissão de helicópteros

avianca-aviao-dentro

A Avianca anunciou que neste mês de novembro começará a operar os 17 novos slots (horários de pousos de decolagens) concedidos pela ANAC (Agência Nacional de Avição Civil). Com as frequências, a companhia aérea passa a contar com 41 no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP).

As novas operações irão ligar São Paulo ao Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e Salvador (BA). Essas novas posições têm potencial de acrescentar 30 mil passageiros por mês, o que significa um aumento de 5% na operação diária que hoje é de 20 mil.

A Ponte Aérea Rio-São Paulo terão mais dois voos, e com isso passará a ter 12 frequências diárias. Outros dois voos sairão de Congonhas com destino ao Aeroporto do Galeão (RJ), o que dará suporte às conexões para Nordeste. Além deles, haverá mais três voos para Brasília e um voo direto de Congonhas para Salvador.
A empresa também promete para novembro a chegada de duas novas aeronaves A320, completando as sete previstas para serem entregues em 2014.

A Avianca também anunciou que fornecerá voos extras para a temporada de final de ano. A partir do dia 15/12, mais dois voos diários da companhia aérea sairão de Guarulhos (SP). Um deles com destino a João Pessoa (PB), e o outro para Natal (RN). Ambos serão operados até o dia 21/2.

A taxa de ocupação média da empresa no Brasil é superior à registrada pelo setor. Em 2010, era de 74%, ante 68% da média da aviação, e deve terminar este ano com 84%, e o segmento em geral com 79%.
Este percentual pode significar avançar dos aproximadamente 2,5 milhões de passageiros atendidos em 2010 para os atuais 7,2 milhões estimados para 2014.

A empresa prevê que a receita em 2014 chegue a R$ 2,303 bilhões, o que significa um acréscimo de cerca de 300% em relação a 2010, quando lucro calculado foi de R$ 574 milhões.

COMMENTS