Aeroporto de Guarulhos (SP) passa a contar com Conhecimento Eletrônico de Carga

Aeroporto de Guarulhos (SP) passa a contar com Conhecimento Eletrônico de Carga

Novo procedimento acelera a exportação brasileira, uma vez que dispensa o uso de cópias físicas do Conhecimento Aéreo

TAM avança no desenvolvimento de bioquerosene
Webjet reduz preço da tarifa para divulgar novas rotas
Aeroporto de Angra dos Reis (RJ) passará por processo de licitação em abril

cumbica

A IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo) e o GRU Airport, administradora do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), anunciou a conclusão do projeto piloto para implantação do e-AWB (Conhecimento Eletrônico de Carga Aérea) no setor de exportação do Terminal de Cargas de Guarulhos.

O objetivo principal deste novo procedimento adotado é consolidar a substituição de documentos físicos por arquivos eletrônicos.

O sistema e-AWB faz parte de um programa global da IATA, e dará mais agilidade às exportações brasileiras, pois desobriga a tramitação de cópias físicas do Conhecimento Aéreo. Estima-se que o uso do e-AWB em todo o mundo vai eliminar mais de 7.800 toneladas de documentos de papel por ano, o equivalente a 80 cargueiros Boeing 747 cheios de papel.

“O conhecimento aéreo eletrônico e-AWB (Air Way Bill) será uma revolução, assim como foi a implantação do bilhete eletrônico (e-ticket). E vai gerar desburocratização e transparência no gerenciamento de informações. O objetivo é que, no longo prazo, possamos disponibilizar eletronicamente em tempo real todos os documentos referentes ao transporte aéreo de cargas”, afirma Carlos Ebner, diretor da IATA para o Brasil.

O projeto piloto contou com a participação das companhias aéreas American Airlines, Lufthansa e TAM Cargo, além dos agentes de carga DB Schenker e Panalpina, que, desde julho, passaram a adotar o novo sistema em suas operações, realizando diversos testes na área de exportação.

“Toda a cadeia logística no modal aéreo será beneficiada com essa iniciativa, principalmente em relação à otimização das operações e, consequentemente, à redução dos tempos de tramitação de cargas”, destaca o diretor de Operações de Cargas do GRU Airport, Marcus Santarém.

COMMENTS