Total de recursos liberados para compra de veículos sobe 2% no 1º semestre

Total de recursos liberados para compra de veículos sobe 2% no 1º semestre

Financeiras liberaram R$ 55,5 bilhões no período, porém, a Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras prevê tendência de queda

Banco do Brasil vai ampliar crédito agrícola em 10 bilhões de reais
Consórcio Luiza lança carta de crédito para compra de caminhões
Crédito do PSI para caminhões e ônibus tem novo limite de R$ 122,6 bi

patio-veiculos-zero

De acordo com balanço da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras) referente aos segmentos de atuação das financeiras, o total de recursos liberados para compra de veículos no primeiro semestre deste ano foi de R$ 55,5 bilhões, o que significou um acréscimo de 2% sobre o mesmo período de 2013, quando foram concedidos R$ 54,4 bilhões.

A tendência dos recursos liberados para financiamentos de veículos é de queda, a exemplo de junho, quando foram concedidos R$ 8,5 bilhões, valor 8,8% menor que maio, com R$ 9,3 bilhões e 3,3% inferior ao mesmo período do ano passado (R$ 8,8 bilhões).

As baixas ocorreram basicamente pela queda na venda de veículos automotores, impacto causado pelas férias coletivas nas montadoras e a Copa do Mundo no Brasil.

O saldo das carteiras de financiamentos para aquisição de veículos (CDC + Leasing PF e PJ), que em maio ultrapassou R$ 219 bilhões, apresentou retração de 0,9% em junho, passando para R$ 217,1 bilhões. Em relação ao mesmo período de 2013, quando atingiu R$ 235,2 bilhões, a redução foi de 7,7%.

Já em relação à inadimplência, o não pagamento acima de 90 dias no setor de financiamento de veículos caiu 0,1%. em junho e fechou o mês em 4,9% no CDC para pessoa física. Durante o primeiro semestre, as quedas somam 0,3 pontos percentuais. Os atrasos inferiores a 90 dias mantiveram-se estáveis em 8,1% em junho.

Em junho, os associados da associação praticaram uma taxa média de juros de 1,41%, mesma efetivada em maio. A taxa média anual foi de 18,30%, também sem alteração no período.

No primeiro semestre, os planos máximos disponibilizados pelos bancos aos consumidores oi de 60 meses. No entanto, e o prazo médio no final do período foi de 41 meses. As modalidades de pagamento utilizadas na compra de automóveis e comerciais leves no mercado interno dividiram-se em CDC, 52%; à vista, 38%; Consórcio, 8%; e 2%, Leasing.

No segmento de caminhões e ônibus, o Finame representou 71% do total comercializado, enquanto os pagamentos à vista, 14%; CDC, 11%; Consórcio, 2%; assim como, Leasing e Leasing Finame, também com 2%. Já no segmento de motocicletas, 34% das vendas foram à vista; 32%, CDC; e 34%, cartas de consórcio.

COMMENTS