Três grandes consórcios disputam PPP da Tamoios

Rodovia que liga o Vale do Paraíba ao litoral norte paulista será concedida à iniciativa privada. Consórcios entregaram as propostas na manhã desta quarta (18)

Aeronáutica abre novo concurso para formação de sargentos
Pneus de carga Continental vencem teste de eficiência de combustível
BNDES aprova empréstimo de R$ 1,06 bi para Concebra

nova-tamois-sp99

A concessão da Nova Tamoios, via importante do Estado de São Paulo, conta com a participação de três grandes consórcios em disputa. A licitação prevê o gerenciamento de toda a rodovia durante 30 anos e sua duplicação no trecho de serra. A análise das ofertas deve terminar em agosto, quando será divulgado o consórcio vencedor.

No consórcio Via Nova Tamoios predomina a EcoRodovias (37,7%), sucedida pela Odebrecht (19,6%), Serveng (18,85%), EMS Participações (18,85%) e Infravix (5%).

O Novos Caminhos é liderado pela Galvão Engenharia (69%), seguido da Construtora Aterpa M Martins (30%) e a Toniolo Busnello (1%).

Já o consórcio Desenvolvimento Nova Tamoios tem como majoritária a J&F Investimentos (75%), e é composto também pela Concremat (10%), Strata Construções (9%), Acciona Infraestructuras (5%) e EIT Engenharia (1%).

O consócio vencedor deverá ser aquele que apresentar o menor valor de contraprestação anual, paga pelo governo do Estado e que não deve ultrapassar a soma de R$ 156,854 milhões.

Além disso, será considerado o cumprimento das determinações do edital. No caso do grupo com menor contraprestação anual não atender aos requisitos necessários, ganha o consórcio com a segunda melhor proposta.

Obra

A nova pista no trecho de serra terá aproximadamente 21 quilômetros de extensão, sendo 12,5 em túneis e 2,5 em viadutos. Estima-se que deverá custar R$ 2,9 bi dos quais o governo pagará 2,185 bi e o restante pelo consórcio vencedor.

O projeto prevê também três praças de pedágio na rodovia, duas no planalto e uma no encontro dos contornos sul e norte.

 

COMMENTS