BNDES, Desenvolve SP, FINEP e Embraer inauguram fundo de investimento inédito para o setor aeroespacial

BNDES, Desenvolve SP, FINEP e Embraer inauguram fundo de investimento inédito para o setor aeroespacial

Projeto visa fortalecer cadeia produtiva e promover a integração de sistemas por meio de apoio às pequenas e médias empresas

Boeing entrega primeiro 747-8 VIP
Gol renova parte da frota com a compra de 60 Boeing 737
Embraer atinge marca de 500 jatos da família Phenom

embraer-aeronave-combustive

Foi lançado nesta quarta-feira (7/5), na sede do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), no Rio de Janeiro, o FIP (Fundo de Investimento em Participações) Aeroespacial, primeiro na América Latina voltado para o segmento.

O projeto é resultado de uma iniciativa do BNDES com a FINEP, a Desenvolve SP (Agência de Desenvolvimento Paulista) e a fabricante de aviões Embraer.

A ideia é fortalecer a cadeia produtiva aeroespacial, aeronáutica, de defesa e segurança e promover a integração de sistemas relacionados a esses setores por meio de apoio às pequenas e médias empresas.

O patrimônio inicial do fundo será de R$ 131,3 milhões, e será distribuído da seguinte maneira: BNDESPAR, Embraer e FINEP, cada um com R$ 40 milhões; Desenvolve SP, com R$ 10 milhões e R$ 1,3 milhão aportados pela Portbank, gestora oficial do fundo que foi selecionada a partir de um edital de chamada pública conjunta realizada em setembro do ano passado.

O FIP cria um canal permanente que permite o contato mais próximo entre a empresa estratégica do setor – neste caso a Embraer – e as iniciativas empreendedoras mais inovadoras destes setores e promove o investimento em setores estratégicos para o Brasil.

“É com muita satisfação que vemos esta iniciativa tornar-se realidade. O apoio à micro e pequenas empresas de base tecnológica, com o suporte de grandes companhias de setores correlatos, tem grande sintonia com o papel do BNDES. Esperamos e estamos trabalhando para que outras empresas sigam o caminho trilhado pela Embraer”, disse o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.

O fundo de capital empreendedor será destinado a empresas inovadoras de pequeno e médio porte (com faturamento bruto de até R$ 200 milhões/ano) em todo o território nacional.

COMMENTS