Tráfego na BR-364 prossegue restrito

Somente caminhões carregados com itens de primeira necessidade podem trafegar na rodovia que é a única ligação do Acre com o resto do Brasil

DNIT autoriza elaboração do projeto do primeiro acesso por terra ao Acre
TRA Transporte da Amazônia foca suas operações na região Norte do País
BR-317 é recapeada entre Xapuri e Brasileia, no Acre

acre-alagada-rodovia

O tráfego na BR-364 – trajeto entre Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC) – continua interditado para veículos de pequeno porte, apenas caminhões conseguem percorrer, e com prioridade para aqueles carregados com itens de primeira necessidade.

O nível do Rio Madeira, em Rondônia, continua baixando após a cheia recorde que atingiu o estado nos últimos dois meses, inundando 42,5% do território. Com a enchente, o Acre ficou isolado, por causa do alagamento da BR-364, única ligação do estado com o resto do Brasil.

A cota do rio, em Porto Velho, que chegou a 19,70 metros, estava na quarta-feira (16/4) em 18,77 metros. Equipes do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), da Polícia Rodoviária Federal e autoridades dos dois estados permanecem nos locais de alagamento monitorando o tráfego e fazendo reparos emergenciais.

O governo de Rondônia calcula que a reconstrução no pós-enchente pode custar R$ 5 bilhões. A probabilidade de uma nova cheia na mesma proporção para o ano que vem é 0,45%.

COMMENTS