Brasileiro pode pagar mais de R$ 20 de pedágio a cada 100 quilômetros rodados

Brasileiro pode pagar mais de R$ 20 de pedágio a cada 100 quilômetros rodados

Confira o ranking das 9 concessões que cobram mais caro dos usuários no Brasil. Motorista pode chegar a pagar R$ 21,20 em uma única praça de pedágio, como no caso do sistema Anchieta-Imigrantes (SP-150/160)

Foton vendeu quase meio milhão de veículos comerciais só na China em 2015
Porto Seco de Uruguaiana (RS) recebe investimentos para reforçar segurança
FH 440 da Volvo é o caminhão mais vendido no Brasil em 2010, segundo Anfaeva

pedagio-palhoca-tarifa

Além de ser em grande parte pouco eficiente, a malha rodoviária brasileira também é conhecida pelos seus elevados pedágios, principalmente em trechos administrados pela iniciativa privada. Mesmo que nessas estradas concedidas – sobretudo nas regiões Sul e Sudeste do Brasil – o motorista possa encontrar as melhores pistas para trafegar, o valor pago para utilizá-las não condiz com a realidade econômica do brasileiro, que tanto depende deste modal.

Por exemplo, na Rio-Teresópils (BR-116), considerada a rodovia mais cara para o motorista brasileiro, é necessário desembolsar R$ 20,49 a cada 100 quilômetros percorridos. Nesta estrada, administrada pela CRT, o usuário chega a pagar R$ 12,20 por um único pedágio. No sistema Anchieta-Imigrantes, em São Paulo, chega a ser cobrada tarifa de R$ 21,20.

Vale ressaltar o impacto causado pelo desequilíbrio de uma tarifa de pedágio. A exemplo de muitas outras rodovias, o sistema Anchieta-Imigrantes é uma das mais importantes rotas de escoamento de produção do País, o que fatalmente acaba por inflar os custos das operações de transportadoras que por ela precisam trafegar e que, por fim, repassam o custo do produto transportado ao consumidor final.

Confira abaixo uma lista com as nove rodovias mais caras do Brasil:

1. Rio-Teresópolis (RJ) – R$ 20,49 para cada 100 km
Pedágios Rio-Teresópolis (BR-116): 3 praças, de R$ 8,50, R$ 8,50 e R$ 12,20
Extensão: 142,5 quilômetros
Concessionária: CRT
Custo/100km: R$ 20,49

2. Rodovia das Colinas (SP) – R$ 19,58 para cada 100 km
Pedágios SP-075: 2 praças, ambas de R$ 10,50
Pedágios SP-127: 2 praças, de R$ 4,80 e R$ 7,70
Pedágios SP-280: 2 praças, ambas de R$ 7,50
Pedágios SP-300: 2 praças, de R$ 5,70 e R$ 5,90
Extensão: 306,8 quilômetros
Concessionária: Colinas
Custo/100 km: R$ 19,58

3. RS-235 e RS-115 (RS) – R$ 17,50 para cada 100 km
Pedágios RS-235: 2 praças, ambas de R$ 8,30
Pedágio RS-115: 1 praça de R$ 8,30
Extensão: 142,37 quilômetros
Concessionária: Brita
Custo/100km: R$ 17,50

4. Anhanguera-Bandeirantes (SP) – R$ 16,27 para cada 100 km
Pedágios Anhanguera (SP-330): 5 praças, de R$ 7,30, R$ 7,20, R$ 7,20, R$ 6,40 e R$ 4,90.
Pedágios Bandeirantes (SP-348): 5 praças, de R$ 7,30, R$ 7,30, R$ 7,20, R$ 6,40 e R$ 4,90.
Extensão: 317 km
Concessionária: CCR AutoBAn
Custo/100km: R$ 16,27

5. Rodovia dos Lagos (RJ) – R$ 15,60 para cada 100 km
Pedágios Rodovia dos Lagos (RJ-124): 2 praças, de R$ 14,90 e R$ 8,90
Extensão: 57 quilômetros
Concessionária: Via Lagos
Custo/100km: R$ 15,60

6. Anchieta-Imigrantes (SP) – R$ 14,64 para cada 100 km
Pedágios Imigrantes (SP-160): 4 praças, de R$ 1,60, R$ 3, R$ 4,80 e R$ 21,20
Pedágio Anchieta (SP-150): uma praça de R$ 21,20
Extensão: 176,8 quilômetros
Concessionária: EcoRodovias
Custo/100 km: R$ 14,64

7. Dom Pedro I (SP) – R$ 12,96 para cada 100 km
Pedágios Dom Pedro I (SP-65): 3 praças ao custo de R$ 6,80, R$ 6,60 e R$ 5,40
Extensão: 145 km
Concessionária: Rota das Bandeiras
Custo/100km: RS 12,96

8. Castelo Branco-Raposo Tavares (SP) – R$ 12,48 para cada 100 km
Pedágios Castelo Branco (SP-280): 4 praças (da CCR), ao custo de R$ 3,30, R$ 3,30, R$ 6,60 e R$ 9
Pedágios Raposo Tavares (SP-270): 3 praças (da CCR), de R$ 7,20, R$ 6,60 e R$ 3
Extensão: 168,62 quilômetros
Concessionária: CCR ViaOeste
Custo/100 km: R$ 12,48

9. Free Way (RS) – R$ 11,57 para cada 100 km
Pedágios Free Way (BR-290): 3 praças, de R$ 9,30, R$ 9,30 e R$ 4,70.
Extensão: 121 quilômetros
Concessionária: Concepa
Custo/100km: R$ 11,57

Com informações da revista Exame

COMMENTS