Produção total de pneus no Brasil cresce 9,1% de janeiro a outubro

Em relação ao mesmo período do ano passado, volume passou de 52,80 para 57,61 milhões de unidades

Brasil bate recorde de pneus reciclados no 1º semestre do ano
No Brasil, 445 mil toneladas de pneus foram retiradas do meio ambiente em 2014
Indústria brasileira de pneus cresce 2%, mas vendas caem 0,6%

reforma-pneus-nova

Segundo dados da Anip (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos), de janeiro a outubro a produção total de pneus no Brasil aumentou 9,1% em relação ao mesmo período de 2012, passando de 52,80 para 57,61 milhões de unidades.

“Além da expansão do mercado de carga pelas boas safras e pelo estímulo à compra de novos caminhões, é importante destacar o reconhecimento do consumidor de que o pneu fabricado no país possui alta qualidade, como mostra o desempenho no setor de reposição que, para o conjunto dos diversos tipos de pneus mostrou um crescimento de 13,5%”, afirma Alberto Mayer, presidente da Associação.

A produção de pneus radiais no Brasil continuou a crescer mais do que a de convencionais, com a expansão, respectivamente, de 9,7% e 7,7% entre os dez primeiros meses de 2013 ante o mesmo período de 2012. Segundo os dados da Anip, a produção de pneus radiais passou de 37,11 para 40,71 milhões, enquanto de convencionais passou de 15,69 para 16,90 milhões.

No total dos primeiros dez meses de 2013 as importações de pneus cresceram 16,4%, atingindo 23,25 milhões ante 19,98 milhões de unidades no mesmo período de 2012, não incluindo os destinados a veículos de duas rodas.

Enquanto isso as exportações tiveram um redução de 7,7% passando de 11,22 milhões de unidades de janeiro a outubro de 2012 para 10,35 milhões no mesmo período deste ano.

“Com esses números a balança comercial do setor ficou negativa em US$ 302,62 milhões, mais de quatro vezes o déficit dos primeiros dez meses de 2012, quando foi de -US$ 70,38 milhões”, acrescenta o presidente da Anip.

Os fabricantes nacionais importaram 7,79 milhões de unidades, o equivalente a 13,5% de sua produção no país, para atender à demanda de alguns tipos de pneus cuja demanda não justifica a produção local. Os restantes 15,46 milhões de pneus foram importados por empresas sem fabricação no país, para atender, principalmente, ao mercado de reposição, com produtos mais baratos.

No período janeiro a outubro de 2013 em relação ao mesmo período do ano anterior as vendas da indústria nacional de pneus apresentaram um aumento menor que o da produção, com crescimento de 7,6%, passando de 56,63 para 60,92 milhões de unidades nos primeiros dez meses, o que inclui pneus por elas importados.

Confira abaixo os principais aumentos nas vendas de pneus pelas montadoras (e total):

Carga – 16,6% (7,28 milhões)

Camioneta – 14,2% (8,52 milhões)

Passeio – 4,2% (29,31 milhões)

Duas rodas 2,4% (13,11 milhões)

Agrícola – 17,6% (823,8 mil)

Industrial – 56,5% (1,76 milhões)

COMMENTS