GOL realiza primeiro voo comercial com biocombustível

GOL realiza primeiro voo comercial com biocombustível

Bioquerosene renovável obtida a partir da cana-de-açúcar poderá ser utilizada a partir de 2014. Combustível promete menores índices de emissão de poluentes e céus mais limpos no horizonte da companhia

SAC habilita 11 empresas para apresentar estudos para novas concessões de aeroportos
Helibras recebe autorização para montagens de caixas de transmissão de helicópteros
Aeroméxico cresce 20% no total de passageiros transportados em 2011

gol-nova-loja

A GOL Linhas Aéreas e a Amyris, empresa líder no segmento de combustíveis e químicos renováveis, firmaram um acordo que poderá resultar no início da utilização de bioquerosene renovável em voos comerciais da GOL a partir do na que vem.

O memorando de entendimentos prevê que a GOL e Amyris trabalharão juntas para estruturar um programa de uso de combustível de aviação renovável derivado de cana-de-açúcar em voos comerciais da GOL, que seria implementado após as conclusão das validações de especificações técnicas pela indústria aeronáutica e órgãos como a ASTM Internacional e a ANP (Agência Nacional do Petróleo e Gás Natural e Biocombustíveis).

“A GOL apoia todas as iniciativas que buscam soluções para tornar a aviação brasileira cada vez mais sustentável”, explica Paulo Kakinoff, presidente da GOL.

Ao longo deste ano, com medidas para redução de consumo de combustível, a companhia deixou de emitir mais de 30 mil toneladas de gases causadores do efeito estufa.

Segundo a Amyris, a análise do ciclo de vida indica que o combustível de aviação renovável fornecido pode reduzir as emissões de gás de efeito estufa em 80% ou mais, se comparado com o combustível convencional derivado de fonte fóssil.

“Nós estamos comprometidos em trabalhar com a indústria de aviação para tornar os céus mais limpos, começando pelo Brasil em 2014. Após o sucesso que obtivemos com nossos dois voos de demonstração e uma série de resultados de testes com múltiplos atores da indústria, estamos confiantes na validação pela indústria e ASTM e inclusão na regulamentação da ANP”, disse John Melo, Presidente da Amyris.

COMMENTS