Nordeste poderá ter ferrovia de 2.500 quilômetros

Projeto prevê linha férrea de Salvador (BA) até São Luiz (MA); empreendimento deverá custar entre R$ 5 bilhões e R$ 10 bilhões

Direto da Redação – TV Transporta Brasil – nº 16
TCU determina redução de 15,4% em pedágios da BR-101 e da BR-376
ANTT prorroga prazo para envio de sugestões sobre fiscalização do transporte ferroviário de cargas

linha_ferrea

Será assinado, em João Pessoa (PB), no mês de outubro, um termo de cooperação entre a Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste) e a ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) para iniciar os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental para implantação e exploração da rede de transporte de passageiros e de carga por meio de ferrovia. Com isso, poderá sair do papel o chamado Trem do Sol.

O projeto prevê uma ferrovia de aproximadamente 2.500 quilômetros, que percorrerá os nove estados do Nordeste, de Salvador (BA) a São Luiz (MA), com custos de R$ 5 bilhões a R$ 10 bilhões, dependendo do traçado da linha.

Segundo o coordenador-geral de Elaboração e Avaliação dos Planos de Desenvolvimento da Sudene, Adonis Oliveira, as cidades por onde os trilhos vão passar ainda não foram definidas, mas o consenso é de que a ferrovia seguirá sempre pela costa para serem atendidas todas as capitais, com exceção de Teresina (PI), por não ser litorânea. Contudo, um ramal entre Parnaíba e Teresina, que foi abandonado, deverá ser recuperado.

O Trem do Sol deverá ser totalmente privado, com uma empresa sendo proprietária da ferrovia e vendendo linhas e horários para outras empresas operarem.

Contatos já foram feitos com o Governo da Espanha, pois no país há um modelo de concessão do transporte ferroviário que a Sudene gostaria de adotar. Adonis Oliveira informou que o Governo Espanhol disse que daria suporte, que poderá ser dado até na fase inicial de estudos.

COMMENTS