Embraer entrega caça A-1 modernizado para a FAB

Programa da fabricante de aeronaves firmado com a Força Aérea Brasileira prevê revitalização e a modernização de 43 jatos subsônicos

Embraer vende 1º Phenom 300 ao mercado chinês
Infraero abrirá concorrência internacional de R$ 27 mi para instalação de equipamentos no RJ e PR
Azul substitui ATR por jatos em uma de suas frequências para Presidente Prudente (SP)

embraer-entrega-ai

A Embraer Defesa & Segurança realizou nesta terça-feira (3/9) a cerimônia de entrega do primeiro caça A-1M para a FAB (Força Aérea Brasileira) na sua planta industrial em Gavião Peixoto, no interior do Estado de São Paulo.

O programa A-1M prevê a revitalização e a modernização de 43 jatos subsônicos AMX, 16 dos quais já se encontram nas instalações da Empresa. O avião tem capacidade de realizar missões de ataque ao solo, bombardeio, apoio aéreo tático e reconhecimento. Os aviões modernizados da FAB receberão novos sistemas de navegação, armamentos, geração de oxigênio, radar multímodo e contramedidas eletrônicas.

Esses equipamentos, aliados à revitalização estrutural realizada, permitirão a esses caças operar até o ano de 2025. De acordo com o programa de modernização da Embraer. O programa prevê ainda o fornecimento de estações de briefing e debriefing que serão empregadas no treinamento e na proficiência dos pilotos dos esquadrões da FAB, possibilitando um melhor aproveitamento, redução de custos e maior eficácia no planejamento e execução das missões.

Deste modo, a FAB passará a dispor de uma aeronave de ataque no estado da arte, com aviônica e sistemas embarcados de última geração, garantindo assim a capacidade de cumprir com excelência a missão de defender a soberania do espaço aéreo brasileiro.

“Os caças A-1 são vetores fundamentais para a defesa do Brasil, incluindo o seu mar territorial. Temos tido grande sucesso no uso dessa aeronave em operações de alta complexidade, como os exercícios Cruzex e Red Flag. A sua modernização representa um grande ganho de capacidade, com adequado custo-benefício e, uma vez mais, valorizando a indústria nacional”, destaca o Comandante da Aeronáutica, o Tenente-Brigadeiro Juniti Saito.

COMMENTS