Comissão de Viação da Câmara aprova rompimento de lacre de carga em inspeção policial

Comissão de Viação da Câmara aprova rompimento de lacre de carga em inspeção policial

Proposta permite à polícia romper lacre aduaneiro e abrir veículo ou transporte de carga; projeto ainda será analisado em duas comissões

Porto seco de Foz do Iguaçu (PR) registra liberação de quase 160 mil caminhões em 2014
Thomson Reuters adquire T.Global visando expandir atuação na América Latina
CEVA fecha parceria logística com a chinesa Chery

prorrogacao-procaminhoneiroA Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprovou uma proposta que tem como finalidade reforçar o combate ao roubo de cargas. O Projeto de Lei 2245/11, da deputada Sandra Rosado (PSB-RN), acrescenta dispositivos à Lei 9.034/95, que trata das organizações criminosas, para dar mais poderes à autoridade policial na atividade de revista e inspeção de cargas.

A proposta tramita em caráter conclusivo e será apreciada ainda pelas comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

O texto propõe a permissão do rompimento de lacre aduaneiro e a abertura de veículo ou de contêiner de transporte de carga. A ação deverá ocorrer na presença do motorista ou responsável. Após a inspeção, o agente policial ficará obrigado a aplicar um novo lacre e a entregar ao motorista ou responsável declaração circunstanciada da inspeção, com indicação dos motivos da sua realização. Caso o agente encontre, durante a vistoria, qualquer indício de crime, deverá apreender os bens e o veículo e apresentá-los à autoridade policial superior.

O relator, deputado Geraldo Simões (PT-BA), disse não ver qualquer prejuízo que possa decorrer da aprovação da matéria” no que compete à Comissão de Viação e Transportes. E pediu a aprovação. “O objetivo é ampliar os instrumentos de ação das forças policiais, para que possam atuar com mais eficiência no combate à ação de organizações criminosas que promovem o roubo de carga”, disse.

Geraldo Simões sugeriu que fosse ouvida a Comissão de Finanças e Tributação, não incluída na tramitação da matéria, já que a legislação tributária tem dispositivos específicos sobre “a fiscalização e a aplicação de sanções no caso de transporte de mercadoria sujeita a pena de perdimento”.

Com informações da Agência Câmara

COMMENTS