Câmara aprova pontos de apoio para motoristas em rodovias federais

Câmara aprova pontos de apoio para motoristas em rodovias federais

Texto aprovado considera pontos de apoio para qualquer veículo, e não apenas para os de carga e passageiros, como previa o Projeto de Lei 785/11

Instalação obrigatória de rastreadores em veículos novos é rejeitada por comissão da Câmara
Comissão aprova instalação obrigatória de detector de combustível adulterado em veículos
Câmara dos Deputados estuda Projeto de Lei que proíbe frisagem de pneus

MG-050-rodovia

As mudanças definidas pelo Senado ao Projeto de Lei 785/11, do deputado Onofre Santo Agostini (PSD-SC), foram aprovadas pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados. A proposta obriga a construção de pontos de apoio e descanso para motoristas que trafegam nas rodovias federais que são administradas por companhias privadas.

O texto que havia sido acatado pela Câmara, em abril de 2012, obriga as concessionárias de rodovias federais a construírem e a manterem estações de apoio aos motoristas de caminhão de carga e aos ônibus de passageiros às margens das estradas, separadas entre si por no máximo 150 quilômetros e, de preferência, ao lado de postos de combustíveis. A proposta também define que nessas instalações tenham áreas para abrigo e descanso de motoristas e passageiros de ônibus. Além disso, obriga a construção, nos pontos de apoio, de banheiros, lanchonetes ou restaurantes, locais para obtenção de informações relacionadas à concessão, p ostos para comunicação telefônica e locais para estacionamento e conserto de veículos.

Em contrapartida, o Senado removeu todo esse detalhamento do projeto, mantendo somente a exigência da construção, a cada 150 quilômetros, de estações de parada para qualquer veículo, não só de carga ou de passageiro.

Conforme a emenda do Senado, os pontos de apoio devem oferecer serviços que garantam o conforto e a conveniência dos motoristas. Ficará a cargo da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), definir o que as instalações devem conte r.
A outra emenda aprovada muda a ementa do projeto para melhorar a técnica legislativa, não alterando o mérito da proposição.

“Se aprovou a chamada Lei dos Caminhoneiros (12.619/12), que estabelece o período máximo de trabalho e os horários de descanso do caminhoneiro. Acontece que as nossas rodovias não têm nenhuma estrutura para que eles possam fazer isso. Então, é preciso a ANTT regulamentar isso corretamente”, observa o relator, deputado César Halum (PSD-TO).

As emendas do Senado ao Projeto de Lei ainda serão analisadas, em caráter conclusivo, pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Com informações da Agência Câmara de Notícias

COMMENTS