Custos portuários dispararam no Brasil nos últimos quatro anos

Levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) mostram que os custos por tonelada cresceram de US$ 14,16 em 2009 para US$ 15,67 em 2013. Aumento foi de 27%

Índice de Variação da Arrecadação Tributária de janeiro deste ano atinge 21,73 pontos percentuais
Terceirização de frota de automóveis pode representar economia para empresas
Combustíveis ficam mais caros nas refinarias

porto-de-santos

O IPBT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário) alerta para o aumento de 27% do custo em dólares para as operações portuárias em toneladas no Brasil nos últimos quatro anos. Segundo o estudo da entidade, em 2009, esses custos totalizaram US$ 7,51 bilhões, passando para US$ 9,55 bilhões em 2012; e já no primeiro semestre de 2013 atingindo o valor de US$ 4,86 bilhões.

De janeiro de 2009 a junho de 2013 o comércio exterior brasileiro movimentou por via marítima 2.766.723.808 (2,77 trilhões) de toneladas de produtos, ao valor US$ FOB de 1.456.457.924.216 (US$ 1,46 trilhão), a um valor médio por tonelada de US$ 526,42.

“Os custos portuários podem ser divididos em diretos ou indiretos. Entre os valores que recaem diretamente nos preços dos custos marítimos estão as utilizações dos equipamentos e instalações portuárias terrestres ou marítimas, embarque e desembarque de cargas, despachos aduaneiros, taxas, impostos e demurrage. Os custos indiretos compreendem aqueles relacionados à contratação dos serviços de praticagem, rebocadores, agências marítimas, atracação e desatracação, faróis, vigias, transporte de tripulação”, explica Gilberto Luiz do Amaral, presidente do Conselho Superior e coordenador de Estudos do IBPT.

Segundo o especialista, a movimentação e armazenagem de carga em terminais portuários e retroportuários correspondem a 54,44% do valor do custo portuário; a demurrage e o despacho aduaneiro são responsáveis, respectivamente, por 18,56% e17,84% dos custos; a rebocagem por 2,97% e a praticagem por 2,48% do valor total do transporte por via marítima; e por último, os serviços de agenciamento marítimo, aluguel de lanchas para transporte da tripulação e outros, que equivalem cada um a 1% do custo total.

COMMENTS