Aeronautas pedem suspensão das demissões da TAM e solicitam negociação

Segundo Paulinho da Força, presidente da Força Sindical, caso a companhia aérea não atenda ao pedido, trabalhadores fecharão Aeroporto de Congonhas (SP) no dia 8/8

Avon contrata DHL para gerir operações logísticas da Ásia para a América Latina
45% dos passageiros do transporte aéreo brasileiro recebem entre dois e dez salários mínimos
Gollog inicia operações na República Dominicana

tam-airbus-novo

Após a TAM anunciar a demissão de cerca de mil aeronautas (comissários, pilotos e co-pilotos), a Força Sindical, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Transporte Aéreo e os sindicatos dos aeroviários de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, além do Sindicato dos Aeronautas de São Paulo, enviaram uma carta aos dirigentes da companhia solicitando abertura de negociações.

“Se não tiver negociação, na próxima quinta-feira (8/8) fecharemos o Aeroporto de Congonhas (SP)”, declara Paulinho da Força, presidente da Força Sindical, que se reuniu com os presidentes destas entidades hoje (1/8), na sede da entidade. “Solicitamos hoje ao ministro do Trabalho, Manoel Dias, que ele seja o intermediador da negociação. O ministro irá nos receber na terça, dia 6, às 15 horas”, afirmou o presidente.

Segundo Paulinho, a demissão de mil aeronautas poderá causar demissão de até 10 mil aeroviários, que são os trabalhadores que trabalham em terra nos aeroportos.

“No ano passado aviões não decolavam por falta de aeronautas. Hoje a companhia anuncia demissões, a exemplo do que já aconteceu com a Gol e a WebJet. Não podemos viver em instabilidade permanente”, destacou João Pedro Passos de Sousa Leite, presidente do Sindicato dos Aeronautas SP.

COMMENTS