Pedágio por trecho poderá se espalhar por todo o Brasil

Artesp, desenvolvedora do sistema, firmou uma parceria com entidade do Governo Federal para disseminar tecnologia

Cálculo de reajuste de tarifas de pedágio será unificado a partir de 2012, diz Artesp
Cai número de passageiros do banco traseiro que não usam cinto de segurança nas estradas de SP
Move Mais será a próxima empresa de pagamento eletrônico em pedágios de SP

pedagios-parana2010

A Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) firmou uma parceria com a EPL (Empresa de Planejamento e Logística), entidade do Governo Federal, com o intuito de expandir para todo o Brasil a tecnologia desenvolvida pelo órgão paulista para o sistema de cobrança automático e o sistema Ponto a Ponto, que é o pedagiamento por trecho percorrido.

Após experimento nas rodovias do Estado de São Paulo, novos produtos e serviços de transporte e logística poderão ser desenvolvidos com base na tecnologia de radiofrequência RFID 915 MHz. A ideia é integrar o mesmo padrão de chip nos mais modais rodoviário, marítimo, aéreo e ferroviário.

O que se pretende é fomentar o uso da mesma tecnologia e do mesmo padrão em diversas aplicações. Com um único chip para uso em veículos, cargas ou produtos ser á possível integrar serviços como a cobrança de pedágio, pesagem de veículos comerciais, rastreamento de cargas e acompanhar a origem e destino de um produto dentro do programa Brasil ID ajudando, inclusive, no combate ao contrabando de mercadorias e fraudes ao compartilhar as mesmas informações com várias entidades fiscalizadoras.

Esta integração acelera a adoção destes novos serviços por várias entidades governamentais, e preserva investimentos realizados através do compartilhamento de uma mesma infraestrutura. Também poderão ser ampliadas para todo o país as aplicações já em uso hoje como os pagamentos de estacionamentos e abastecimento de veículos.

A utilização de tags com a radiofrequência RFID 915 MHz, baseados no padrão SINIAV, passou a ser implantada em São Paulo a partir de 2011 em substituição aos equipamentos que adotavam a frequência 5,8 GHz, que já eram utilizados havia 11 anos. A nova modalidade, além de mais moderna, proporcionou o barateamento do acesso do usuário ao pedagiamento eletrônico.

A tecnologia RFID 915 MHz permitiu, além da abertura de mercado dos serviços de pedagiamento eletrônico, que fossem implementados os projetos-pilotos do Sistema Ponto a Ponto, de cobrança da tarifa por trecho percorrido, nas rodovias Rodovia Santos Dumont (SP-75) entre I tu e Campinas; Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360), entre Jundiaí e Itatiba; e na Adhemar de Barros (SP-340), de Campinas a Mogi Mirim (em fase de implantação).

COMMENTS