Boeing projeta demanda de 35 mil aeronaves para os próximos 20 anos

Boeing projeta demanda de 35 mil aeronaves para os próximos 20 anos

Quantidade negociada representaria aproximadamente US$ 4,8 trilhões; região Ásia-Pacífico receberá a maior quantidade

Avianca cresce 117% no mercado de viagens corporativas
CNJ desmonta mais três aviões-sucata da Varig no RJ
Mais de 3 mil órgãos e tecidos para transplante foram transportados por empresas aéreas brasileiras em 2015

boeing-linha-de-producao

A fabricante de aeronaves Boeing está projetando uma demanda de mais de 35 mil novas unidade para os próximos 20 anos. A quantidade de aviões está avaliada em cerca de US$ 4,8 trilhões. Na prospecção, a região Ásia-Pacífico, que inclui a China, receberá o maior número modelos.

A companhia prevê também que a frota mundial dobrará nas próximas duas décadas. Tanto o tráfego de passageiros quanto o de carga deve crescer 5% a cada ano.

“Essa previsão nos dá confiança enquanto aumentamos nossas taxas de produção e investimos em novos produtos como o 777X e o 787-10X”, diz Randy Tinseth, vice-presidente de marketing da Boeing Commercial Airplanes. “As companhias aéreas estão exigindo mais eficiência e é exatamente isso que daremos a elas”.

O mercado de aeronaves de corredor único, atendido pela Boeing com o 737 Next-Generation e o futuro 737 MAX, é o principal responsável por essa previsão e continua dando mostras de força. Esse segmento demandará 24.670 novas aeronaves.

O segmento das aeronaves mais amplas, como os modelos 747-8, 777 e 787 Dreamliner, demandará 8.590 novas unidades, em parte porque as companhias aéreas estarão substituindo suas frotas antigas por aeronaves novas, de maior eficiência energética.

“Nossos clientes estão focados em ampliar suas malhas aéreas, em gerenciar sua capacidade e em investir em novas frotas”, diz Tinseth. “Essas tendências determinarão a demanda do mercado por aeronaves que ofereçam alta eficiência, baixos custos operacionais, tecnologias ambientalmente avançadas e uma excelente experiência aos passageiros. Acreditamos que os atuais e futuros produtos da Boeing estão perfeitamente alinhados para atender essas necessidades”, conclui.

COMMENTS