Continental investe R$ 30 milhões para produção de freios ABS em Várzea Paulista (SP)

Unidade torna-se a primeira instalação da empresa na América do Sul equipada para montagem do produto

Governo discute data que entra em vigor obrigatoriedade de airbag e ABS
Volvo vende 28 ônibus articulados para companhia de Guatemala
Guerra conquista homologação para novo sistema de freios ABS

continental

A fabricante de componentes automotivos Continental começou a produzir sistemas antibloqueio de freios (ABS), em sua fábrica na cidade de Várzea Paulista (SP). Para as operações, foram investidos cerca de R$ 30 milhões em um projeto internacional da Continental que integra a nova linha de ABS à fábrica existente, onde a empresa já produz sistemas de freios hidráulicos. Com isso, local torna-se a primeira instalação da empresa para produção do sistema de freios eletrônicos na América do Sul.

“O uso dos sistemas ABS está em franco crescimento no mercado brasileiro, já que a partir de 2014 o dispositivo de segurança será obrigatório para todos os veículos novos produzidos no País, conforme as resoluções 311 e 312 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Ao produzir esses sistemas no Brasil, estamos combinando nosso portfólio com as necessidades de nossos clientes locais”, afirmou Frank Jourdan, vice-presidente executivo da Unidade de Negócios de Sistemas de Freios Eletrônicos, da Divisão de Chassis & Safety da Continental.

A fábrica de Várzea Paulista abriga agora a engenharia de aplicação e a produção local do MK 70 e MK 78, sistemas de freios eletrônicos com funcionalidade ABS para veículos compactos e sub-compactos.

“A produção de ABS será baseada em um sistema de dois turnos na primeira metade de 2013; na segunda metade do ano três turnos serão aplicados. No total, serão gerados 80 novos empregos, diretos e indiretos, para alcançar isso”, destaca Michael Diehl, responsável pela Unidade de Negócios de Sistemas de Freios Eletrônicos no Brasil.

A capacidade máxima da nova linha de produção de ABS é de 1,2 milhões de unidades por ano.

COMMENTS