Santo André (SP) vai testar semáforos com nobreak

Departamento de Segurança e Trânsito da cidade realizará a instalação dos equipamentos em dois pontos. Testes vão durar 60 dias e visam a utilização dos sinais sem interrupção, caso haja queda de energia ou problemas devido às chuvas

Restrições aos caminhões chegam ao ABC paulista
Aliança Navegação e Logística compra VW
Primeiras vigas do viaduto que marca início do Trecho Leste do Rodoanel foram lançadas

A prefeitura de Santo André (SP), na região do ABC, anunciou que seu Departamento de Trânsito vai fazer 60 dias de testes com semáforos com nobreaks, equipamentos mantêm a alimentação de energia mesmo com a queda no fornecimento da rede elétrica, muito comum nos dias de chuvas.

Os semáforos novos serão instalados em dois cruzamentos de grande circulação e permanecerão em teste durante 60 dias.
Os pontos onde serão instaladas ainda estão em estudo. De acordo com a prefeitura, Santo André tem 250 cruzamentos semaforizados e, segundo o diretor do Departamento de Segurança e Trânsito, Epeus Pinto Monteiro, as vias com maior fluxo de veículos e de transporte coletivo estão entre as principais a receberem os equipamentos. “Nas últimas chuvas que tivemos, vias como Dom Pedro II, Ramiro Coleoni, Coronel Alfredo Fláquer e Siqueira Campos tiveram problemas de semáforos apagados. Um dos pontos mais críticos é o cruzamento das avenidas XV de Novembro e José Amazonas”, diz.

FUNCIONAMENTO – O nobreak é um equipamento acoplado nas caixas semafóricas, próximo ao controlador. Funciona com bateria recarregável no próprio semáforo. Em caso de queda de energia, entra em ação, deixando os semáforos em funcionamento.

A bateria de um nobreak tem durabilidade que varia de quatro meses a quatro anos e o equipamento pode ficar em funcionamento até 4h30. O custo varia de R$ 2 mil a R$ 10 mil. No entanto, para ser instalado é necessário que conjunto semafórico possua algumas condições técnicas, como lâmpadas LED que consomem menos energia.

COMMENTS