Governo prorroga linha especial de financiamento de caminhões

Governo prorroga linha especial de financiamento de caminhões

Taxas para financiamento de caminhões será de 2,5% até 31 de dezembro de 2012. Ano quevem, ao invés de retornar aos tradicionais 5,5% ao ano, serão reduzidas para 3% no primeiro semestre e depois 3,55 no segundo, para os planos PSI

Projeto que recupera rodovias no Sul é o primeiro beneficiado com redução de taxas do BNDES
Governo anuncia investimentos na infraestrutura logística para o agronegócio
Parceria entre BNDES e OnixSat beneficia clientes

Na tentativa de dar novo gás ao fluxo de investimentos no País, o governo anunciou a redução da TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) e uma linha de R$ 100 bilhões com juros mais baixos, e até negativos (Abaixo da inflação) para financiar o setor de bens de capital em 2013.

A TJLP, taxa cobrada na maioria dos empréstimos do BNDES, será reduzida de 5,5% ao ano para 5% no próximo ano. Se inflação continuar girando acima de 5%, como ocorreu neste ano, isso indica que os juros ficarão negativos, ou seja, o banco estará “pagando” para conceder empréstimos.

Os R$ 100 bilhões anunciados serão liberados dentro do PSI (Programa de Sustentação de Investimento), que acabaria neste ano e foi prorrogado até o fim de 2013.

O programa terá taxas entre 3% e 8% aoano para financiar a produção e a exportação de máquinas, caminhões, tratores,bens de consumo, entre outros, além de investimento em pesquisa.

Segundo o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o banco está trabalhando para agilizar as liberações e reduzir os prazos de espera das empresas. Do segundo semestre de 2009 até este ano, observou, já foram emprestados R$ 200 bilhões dentro do PSI.

Em alguns casos, como máquinas e equipamentos de transporte as taxas serão menores no primeiro semestre (3% ao ano) e sobem para 3,5% ou 4% ao ano na segunda metade de 2012.

“Em média, as taxas do ano que vem serão muito menores que a deste ano”, disse Coutinho.

Dependendo do bem financiado, os prazos dos empréstimos chegam a uma década ou até mesmo 30 anos.

COMMENTS