Rapidão Cometa vai virar FedEx em 2 anos

Empresa vai abandonar a marca para adotar a bandeira americana FedEx

Produção da Librelato cresce 40% após investimentos nas unidades
DB Schenker inaugura novo centro logístico na Holanda
Grupo Daimler anuncia nova empresa para fortalecer negócios na China

A marca Rapidão Cometa, com 70 anos no mercado de transporte e logística no Brasil, vai deixar de existir e dar lugar a bandeira americana FedEx. A aquisição da empresa pernambucana pela FedEx, anunciada em maio deste ano, foi concluída em julho, com valores não divulgados.

O negócio chamou a atenção do mercado, pois a Rapidão, em infraestrutura, é muito maior do que a FedEx. Sua folha de pagamento, por exemplo, é quase 15 vezes superior: 9 mil ante 622 funcionários.

Após o aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em setembro, executivos das empresas revelam que a integração deverá ser concluída entre 18 e 24 meses. E será nesse período que a marca Rapidão Cometa deverá sair do mercado.

Antes de comprar a Rapidão, a FedEx, no Brasil, estava entre as 25 maiores operações globais. A empresa tinha 622 funcionários, com frota de 156 veículos terrestres, dois aviões e 84 centros autorizados de remessas. Com o negócio, a filial brasileira passou a ser uma das cinco maiores do mundo. Por meio da Rapidão, herdou 6 mil funcionários, 770 veículos, 145 pontos de distribuição e 17 mil clientes.

Com o aparato da Rapidão, a empresa americana pretende avançar no segmento conhecido por “ponta a ponta”, pelo qual não apenas traz as mercadorias para o Brasil, como distribui em todo o território nacional, ganhando competitividade.

A adequação dos serviços para o “padrão FedEx” é justamente o que vai determinar a mudança da marca da empresa pós-aquisição e o nome só será alterado definitivamente para FedEx quando os serviços estiverem em linha com o que é praticado pela empresa americana.

COMMENTS