Novo prefeito de SP é contra as restrições aos caminhões

Novo prefeito de SP é contra as restrições aos caminhões

Haddad também prometeu tratar a logística e o transporte de cargas com atenção, durante a campanha. Leia a entrevista exclusiva do novo prefeito de São Paulo ao Portal Transporta Brasil, realizada no início de outubro, durante a campanha eleitoral

Daimler e Foton criam empresa para fabricar caminhões médios e pesados na China
Aumenta restrição de caminhões em São Paulo
Caminhão-teatro da Scania leva concerto de piano para festa de 459 anos de São Bernardo do Campo (SP)

Fernando Haddad, do PT, foi eleito prefeito de São Paulo neste domingo com 3,387 milhões de votos, cerca de 55,57% do total, contra 2,708 milhões de votos do candidato José Serra, do PSDB, que ficou com 44,43% dos votos.

O Portal Transporta Brasil realizou uma entrevista exclusiva com Haddad, somente com perguntas relacionadas à mobilidade urbana e às políticas se seu Programa de Governo para o transporte, a logística e a circulação de cargas na maior cidade do País. Leia a íntegra da entrevista, feita no início de outubro, durante a campanha eleitoral, na qual Haddad fala sobre restrições aos caminhões, pedágio urbano, plataformas logísticas e mobilidade urbana:

Portal Transporta Brasil: Em seu plano de governo como serão conduzidos os projetos relacionados às plataformas logísticas no entorno da cidade?

Fernando Haddad: De acordo com o meu Plano de Governo vou  elaborar o Plano de Logística e Carga, criando centros de logística de pequeno, médio e grande porte e rotas preferenciais para racionalizar o transporte de carga incluindo a descentralização da CEAGESP, além da criação de um órgão de gerenciamento que cuide da logística de carga na cidade. Seguem as diretrizes do meu programa de governo para este segmento: 1) – garantir o abastecimento, a distribuição de bens, serviços e o escoamento da produção; 2) – reduzir os conflitos em relação a circulação de pessoas, bens e serviços; 3) – reduzir os impactos da passagem dos veículos de transporte de cargas no trânsito;  4) – Está prevista a criação de uma área técnico-administrativa dentro da estrutura da Secretaria municipal de Transportes para tratar de maneira sistemática a todos os assuntos que dizem respeito à logística da cidade. Vou criar miniterminais de cargas, que serão equipamentos de logística urbana, localizados em áreas estratégicas.

Portal Transporta Brasil: Qual é sua opinião sobre as restrições aos caminhões na cidade? Seu plano de governo contempla a manutenção destas medidas?

Fernando Haddad: O transporte de cargas é fundamental. Afinal somos uma cidade de 12 milhões de habitantes que consomem e produzem. Milhares de indústrias estão instaladas em SP. Portanto a circulação de cargas é o nosso sangue. Sem ela a cidade para de produzir e será condenada à falência. Os problemas gerados pelas restrições impostas à circulação de caminhões nas marginais foram causados pela falta de planejamento e de diálogo dos agentes municipais da gestão de Kassab com os motoristas. Quando se comete um erro estratégico, você acaba tendo de fazer remendos. Quando você erra no planejamento, você acaba tendo que, açodadamente, se precipitar e nem sempre se estabelece o diálogo necessário para se construir uma saída. Vamos pagar caro o fato de termos errado no abandono do modelo de sistema de transporte [em 2005]. Tem que reconhecer que foi tomada uma medida errada e é preciso acelerar o passo trazendo o PAC. Temos que investir dobrado depois desses oito anos para recuperar o tempo perdido.

Portal Transporta Brasil: Um dos problemas da mobilidade urbana é o fato de as pessoas morarem longe do trabalho e não haver transporte público de qualidade. Quais são seus projetos para melhorar a mobilidade na cidade?

Fernando Haddad: São Paulo vive hoje um apagão nos transportes, e esse tema é um dos principais focos entre aqueles que estamos desenvolvendo. Estamos formatando diversas propostas, a retomada da implantação dos corredores de ônibus em SP, que a Prefeitura anunciou, a toque de caixa, depois de oito anos de gestão Serra-Kassab, por meio de licitações que vão ficar para a próxima gestão. No que se refere a contribuir com a aceleração da construção do Metrô, a Prefeitura pode contribuir com recursos. Mas dinheiro novo tem que representar mais estações e mais linhas. A Prefeitura só transferiu um recurso financeiro que continua parado. Isso não é investimento, isso é lavar as mãos: “como eu não faço nada aqui, toma aqui”. O dinheiro virou “batata quente” por falta de projeto. Como podemos pactuar isso à frente da Prefeitura? Podemos pactuar um plano de metas com o governo do Estado. A Prefeitura aporta recursos, mas mediante cronograma de entrega de obras e qualidade do serviço. Isso é possível fazer, e penso que o governo do Estado teria todo interesse em repactuar essa parceria em torno do Metrô. Desde que, no entanto, a Prefeitura não abandone o que é dela, que é o transporte por ônibus. Podemos também fazer a parceria com o PAC mobilidade do governo federal.

Portal Transporta Brasil: São Paulo emplaca mais de 800 carros por dia, gerando grande concorrência pelo viário urbano. Como enfrentar este crescente problema?

Fernando Haddad: A oferta de um sistema de transporte público de qualidade (junto com uma maior adequação entre moradia e emprego) é a única maneira sustentável de acesso ao trabalho, educação e outros serviços públicos. Além disso, o transporte público é um instrumento fundamental para a redução do trânsito, da mudança climática, para a melhoria da qualidade do ar e maior segurança energética. Investimentos nos transportes públicos voltados à melhoria na eficiência e na eficácia do trânsito e do transporte de carga intra-urbano e associados a uma recuperação dos modais não motorizados podem reverter o quadro caótico em que estamos vivendo.

Portal Transporta Brasil: Qual é o seu plano majoritário para reduzir o Custo São Paulo, que inclui as demoras por congestionamentos, a falta de segurança, os caros insumos e o ambiente inóspito para o negócio de transportes?

Fernando Haddad: Precisamos de um plano de logística que garanta a circulação de cargas compatível com a circulação das pessoas. O investimento em transporte público mais rápido e eficiente deve estar junto ao investimento em centrais de logística que permitam uma maior eficiência no transporte. Precisamos investir também em tecnologia que permita dar maior eficiência às rotas de carga em São Paulo.

Portal Transporta Brasil: Você acha que a inspeção veicular é uma ação benéfica para a cidade? Manterá esta exigência caso seja eleito?

Fernando Haddad: Iremos garantir a gratuidade da inspeção veicular para incentivar a formalização da frota como medida para melhorar o controle ambiental.

Portal Transporta Brasil: Você é favorável ao pedágio urbano?

Fernando Haddad: Não adianta aumentar a restrição ao transporte individual se não aumentar a oferta e a qualidade do transporte público. Depois de oito anos de dois mandatos, a gestão Serra/Kassab anunciou apenas recentemente um pacote de obras para melhorias no transporte público que deveria ser levado adiante em 2005, como continuação do programa São Paulo Interligado.

Portal Transporta Brasil: Como enfrentar o grande número de mortes de motociclistas na cidade?

Fernando Haddad: Em curto prazo iremos garantir a modernização e racionalização imediata das políticas de transporte através da criação de programas de segurança no trânsito, especialmente para pedestres e motociclistas.

COMMENTS