Deputado quer proibir venda de peças usadas em desmanches

Objetivo do parlamentar é desestimular o mercado de peças usadas, que, segundo ele, sobrevive principalmente do desmanche de veículos roubados

GM comemora 15 anos do Complexo industrial de Gravataí (RS)
Nissan terá fábrica de motores no Complexo Industrial de Resende (RJ) ainda em 2014
Mercedes-Benz terá fábrica de automóveis em Iracemápolis (SP)

O Deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) apresentou para análise na Câmara, um projeto que proíbe o desmanche e a venda de peças usadas, de carros e motos irrecuperáveis ou definitivamente desmontados.

Conforme a proposta, esses veículos deverão ser prensados depois que o proprietário ou a seguradora pedir a baixa do registro no órgão de trânsito. Em seguida, serão leiloados como sucata.

A medida acrescenta a proibição ao Código de Trânsito Brasileiro, que já prevê, para esses casos, a baixa do registro. A lei também proíbe a remontagem do veículo sobre o mesmo chassi, a fim de manter o registro anterior.

O objetivo de Feliciano é desestimular o mercado de peças usadas, que, segundo ele, sobrevive principalmente do desmanche de veículos roubados. “Nesse contexto, os veículos antigos, que não são mais produzidos, tornam-se atraentes para o crime organizado, em contraposição ao interesse das empresas seguradoras, que cobram preços elevados pelo seguro”, observa o parlamentar.

COMMENTS