Azul finaliza processo de devolução dos turboélices ATR 72-200

Frota de oito aeronaves arrendadas da fabricante franco-italiana ATR em 2010 foi a responsável pela entrada da companhia nos mercados regionais. Aeronaves da série 200 foram substituídas pela série 600

Infraero e Centurion Cargo podem ter que arcar com prejuízos em Viracopos (SP)
Infraero inicia a ampliação do aeroporto de Fortaleza (CE)
Aeroporto Juscelino Kubitschek (DF) terá novo sistema de manuseio de bagagem

A Azul Linhas Aéreas aposentou nesta semana a última das oito aeronaves do modelo turboélice ATR 72-200. Arrendados da fabricante franco-italiana, os aviões chegaram ao Brasil no primeiro semestre de 2010 para cumprir a função de expandir os serviços da companhia para cidades de menor densidade de fluxo.

“Os ATR 72-200 tiveram papel fundamental na entrada da companhia no mercado de aviação regional e cumpriram bravamente os objetivos propostos. Além de ser uma aeronave fantástica em termos operacionais, os turboélices tornaram as operações da Azul ainda mais consistentes, alimentando os grandes aeroportos”, afirma David Neeleman, presidente Executivo da Azul e do Conselho da holding Azul Trip S. A.

A frota inicial de oito ATR 72-200 foi arrendada pela companhia provisoriamente para iniciar as operações com este tipo de aeronave. Os voos começaram em 1º de março de 2011, com frequências entre Campinas, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, cidades do interior de São Paulo, e se expandiram para outras cidades do Brasil.

A série 200 foi substituída pelo novo modelo ATR 72-600. A Azul foi a segunda empresa aérea no mundo e a primeira da América Latina a receber e operar a versão 600 da família ATR 72. A companhia já conta com uma frota de 13 turboélices do novo modelo e deve receber mais 17 ao longo dos próximos quatro anos.

O crescimento da aviação regional no Brasil tornou favorável a expansão dos turboélices da ATR, cujas aeronaves são adequadas para utilização em rotas com menos de 700 km de distância.

COMMENTS