TAM diminui número de comissários em 32% dos voos após prejuízos

Número de comissários de bordo passa de quatro para três em voos domésticos operados com o Airbus A319

Tribunal de Justiça de SP responsabiliza empresas aéreas por poluição em Guarulhos
Boeing terá centro de pesquisa e tecnologia aeroespacial em São José dos Campos (SP)
Dachser é nova parceira da Lufthansa Cargo

Depois de fechar o segundo trimestre com prejuízo de quase R$ 1 bilhão, a TAM reduziu de quatro para três o número de comissários de bordo em um terço dos seus voos domésticos.

A iniciativa vale desde o início de setembro para todos os voos operados com o Airbus A319, avião que faz, por exemplo, rotas que ligam o Aeroporto de Congonhas (SP) aos aeroportos de Florianópolis (SC), Curitiba (PR) e Confins (MG).

O A319 tem capacidade para 144 passageiros. Segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), 32% dos voos da TAM dentro do território brasileiro usam esse tipo de aeronave.

A companhia decidiu diminuir a quantidade de comissários baseada em uma regra de 2010 da Anac que autoriza o uso de um comissário para cada 50 passageiros em algumas aeronaves.

A prática é adotada no exterior, especialmente por companhias de baixo custo.

No Brasil, a Webjet foi a primeira a obter autorização para usar três comissários, em novembro de 2010. Em maio deste ano, a Gol adotou o mesmo procedimento em parte da frota.

“A mudança não interfere no nível de serviço e segurança praticados pela companhia e proporciona maior eficiência e rentabilidade às operações”, disse a TAM em comunicado à imprensa. A companhia teve prejuízo de R$ 928 milhões só no segundo trimestre deste ano.

De acordo com a companhia, não haverá cortes de comissários. “Os comissários que foram realocados nessa operação estão sendo absorvidos pela chegada de mais aeronaves e também pelo início, em breve, de novos voos.”

O Sindicato Nacional dos Aeronautas é contra a redução de comissários, por avaliar que há prejuízo à segurança operacional.

COMMENTS