FedEx traça meta ousada para a redução de emissões de poluentes

Grupo pretende reduzir em 50% as emissões de carbono da frota mundial até 2020, melhorando a eficiência no consumo de combustíveis dos veículos. Fedex também se comprometeu a utilizar 30% de combustíveis alternativos nas aeronaves até 2030

Petrobras triplica capacidade de usina de biodiesel em Minas Gerais
MAN vai testar biodiesel americano
Deputados aprovam MP que amplia mistura de biodiesel e etanol em combustíveis

A Fedex divulgou uma revisão no seu plano de responsabilidade ambiental e ampliou a meta de redução das emissões de carbono e os níveis de eficiência energética da frota para 50% até 2020.

A companhia anunciou em 2008, que reduziria a intensidade do impacto ambiental decorrente das emissões dos veículos da FedEx Express em 20% até 2020, tomando por base os números de 2005. Menos de cinco anos depois, os resultados obtidos já demonstram que os esforços fizeram com que essa meta já estivesse próxima de ser alcançada, oque motivou a revisão.

Até o final do ano fiscal de 2011, a empresa já tinha diminuído as emissões em 13,8% e melhorado a eficiência de combustível de seus veículos em 16,6%. Por esse motivo, decidiu aumentar em 50% a meta de redução de emissões de suas aeronaves, para um patamar de 30% até 2020, data original do projeto.

A FedEx também refirmou seu compromisso de ter pelo menos 30% do total de combustível usado em seus aviões provenientes de fontes alternativas até o ano 2030.

“A FedEx está dedicada em fornecer soluções sustentáveis aos nossos clientes”, diz Mitch Jackson, vice-presidente de Assuntos Ambientais e Sustentabilidade da FedEx Corp.

A companhia, credita o sucesso da empreitada a programas de inovação nos métodos de trabalho e de utilização de combustível, baseando-se na abordagem “Reduza, Substitua e Revolucione” para a gestão de sua rede.

COMMENTS