Governo propõe parceria público-privada para aeroportos de médio porte

Novo modelo de concessão permitirá a redução gradual do prejuízo registrado pela Infraero em terminais com movimentação de 400 mil a 1 milhão de passageiros ao ano

Biocombustível a base de tabaco será testado na aviação
Boeing 787 Dreamliner faz sua estreia no Chile
TAM terá voos compartilhados com a American Airlines

O Ministério da Casa Civil, em conjunto com o Ministério do Planejamento desenvolvem um novo modelo de concessão, para estimular a participação da iniciativa privada na exploração do setor aeroportuário em aeroportos com movimento de 400 mil a 1 milhão de passageiros ao ano.

O plano, que deverá ser apresentado até 15 de setembro, deve seguir o modelo de PPPs (Parcerias Público-Privadas), onde governo e iniciativa privada dividiriam os investimentos necessários para modernizar os aeroportos.

Pelo modelo em estudo, o governo seguirá bancando o déficit desses aeroportos. Porém, com a gestão privada, a expectativa é conseguir reduzir gradualmente o prejuízo.

A Infraero possui o controle de aproximadamente 15 aeroportos que recebem de 400 mil a 1 milhão de passageiros/ano. Entre eles, Londrina (PR), Uberlândia (MG), Petrolina (PE) e Palmas (TO). A maioria não dá lucro.

O governo estuda ainda a criação da Infrapar, empresa de participações da Infraero, para gerir os aeroportos em parceria com operadores estrangeiros de renome.

Esse modelo, no qual o governo permanece com pelo menos 51% das ações, está sendo estudado também para aeroportos maiores, como Confins (MG) e o Galeão (RJ).

COMMENTS