PRF faz blitz sobre descanso dos caminhoneiros em Rondônia

Medida estabelece repouso diário de 11 horas e descanso semanal de 36 horas. Carga horária excessiva leva ao uso de medicamentos e drogas, diz PRF

Governo reforça fiscalização nas estradas no fim de ano
Operação da ANTT gera R$ 4 milhões em multas
Proposta da Câmara volta a modificar a Lei Seca

A Polícia Rodoviária Federal em Rondônia (PRF) iniciou às 7h desta quarta-feira (25/07), em Ji-Paraná, uma fiscalização educativa para orientar motoristas profissionais de cargas pesadas sobre a nova legislação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que estabelece ao trabalhador repouso diário de 11h a cada 24h e descanso semanal de 36h.

De acordo com o inspetor da PRF João Bosco Ribeiro, a blitz educativa acontecerá durante todo o dia, simultaneamente em Ji-Paraná e Rio Branco (AC), por serem regiões centrais de rota.

Até segunda-feira (30), a PRF vai orientar os motoristas sobre as novas regras. A partir desta data, a fiscalização deve começar em todo o País. Para garantir o cumprimento da legislação, a PRF irá fiscalizar os tacógrafos e as chamadas fichas de bordo, onde o motorista deverá anotar o horário de trabalho, de acordo com as informações do tacógrafo. Quem infringir a regra incorrerá em infração de trânsito e estará sujeito a multa e inclusão de pontos na CNH.

Para Ribeiro, empresas de transporte submetem grande parte dos motoristas a riscos. “Alguns trabalham por até 18 horas seguidas, sem descanso. O cansaço é o principal motivo para o aumento do uso de anfetaminas e até outras drogas o que, consequentemente, aumenta os acidentes nas estradas”, explica.

“Ainda há muita desinformação por parte dos motoristas. A nova lei do Contran vem para coibir a prática de trabalho com carga horária excessiva. Como os caminhoneiros ganham por comissão, muitos são contra a lei, porque acreditam que o salário irá diminuir. Mas isso não vai acontecer”, garante o inspetor.

Até o dia 30 de julho, quando a nova lei entra em vigor, mais duas blitze devem acontecer nas cidades rondonienses de Ariquemes e Porto Velho.

COMMENTS