São Paulo inicia programa piloto para taxi elétrico

Projeto contará, inicialmente, com 10 unidades do Nissan LEAF, veículo 100% elétrico com autonomia de 160 km com uma única carga, sem emitir poluentes e com baixo nível de ruído

Rodízio de veículos será suspenso em São Paulo a partir desta sexta (21)
Lei para combate à chamada “fumaça preta” entra em vigor
Gigante estradeiro é transformado na maior e mais cara limusine do mundo

A prefeitura de São Paulo, em parceria com a AES Eletropaulo, Associação das Empresas de Taxi de São Paulo e a Aliança Renault-Nissan, iniciou hoje o programa piloto para avaliar a viabilidade de veículos elétricos operarem como táxi na maior cidade do País.

O estudo é um dos primeiros resultados concretos do Acordo de Intenções (MoU) assinado em junho de 2011 entre os parceiros do projeto, que conta também com a Adetax (Associação das Empresas de Táxi de Frota do Município de São Paulo). Na época, a cidade de São Paulo foi a primeira da América do Sul a assinar um acordo deste tipo.

O veículo utilizado nos testes será o Nissan LEAF, modelo 100% elétrico. As duas primeiras unidades iniciam a parte prática do programa piloto no dia 11 de junho, quando irão para as ruas. Os veículos ficarão no ponto localizado entre a Avenida Paulista e a Rua da Consolação, à disposição de qualquer pessoa que tiver interesse nos serviços de transporte com emissão zero, e circularão em um circuito pré-definido dentro do mini Anel Viário da cidade de São Paulo.

Na próxima fase do projeto, prevista para a metade do segundo semestre, a frota de táxi elétrico da cidade ganhará mais oito unidades do modelo, totalizando 10 carros, todos disponibilizados pela Nissan do Brasil.

O programa piloto do táxi elétrico em São Paulo contará com motoristas profissionais do transporte de passageiros, pessoas que entendem as demandas da mobilidade urbana diária na cidade de São Paulo e que, consequentemente, poderão contribuir para o estudo. Os profissionais foram treinados pela Nissan do Brasil dentro da parceria com a Secretaria Municipal de Transportes (SMT) e com a Associação das Empresas de Táxi de Frota do Município de São Paulo (Adetax).

Além de estudar o comportamento de um veículo com tração elétrica pelas ruas de São Paulo, o programa piloto contará com uma rede de recarga. Serão 15 pontos dentro do circuito estabelecido, sendo cinco unidades de carregamento rápido, instaladas pela AES Eletropaulo, nas quais os taxistas poderão ter as baterias de íon-lítio do Nissan LEAF com carga em até 30 minutos, e outros 10 carregadores para o “reabastecimento” em até 8 horas, que pode ser durante a noite, período de menor consumo de energia pela população. “É a nossa contribuição para o desenvolvimento sustentável da sociedade. Por meio de inovação e tecnologia, haverá impacto positivo para o meio ambiente e para a população”, disse Britaldo Soares, presidente da AES Brasil.

“Ao participarmos desse programa do Táxi Elétrico em São Paulo, reafirmamos nossa missão mundial de promover uma vida mais amigável com a natureza e com o planeta sem comprometer o conforto da mobilidade urbana”, afirma François Dossa, vice-presidente de Administração e Finanças da Nissan do Brasil.

O Projeto Piloto de Táxi Elétrico de São Paulo será monitorado pelos envolvidos, que acompanharão e irão analisar as necessidades dos taxistas, dos pontos para recarga rápida, o desempenho e a manutenção dos veículos, entre outros assuntos que envolvem a iniciativa.

COMMENTS