Plano de incentivo para a renovação da frota de caminhões fracassa

Plano de incentivo para a renovação da frota de caminhões fracassa

Programa de incentivo do BNDES viabiliza a troca de somente 3% dos veículos em circulação. Frota brasileira de caminhões tem idade média de 13 anos. A cada três anos o brasileiro troca de carro de passeio

Diesel aumenta 10 centavos nas refinarias
Gristec revela os dez mandamentos da prevenção ao roubo de cargas
Braspress inaugura novo terminal em Salvador (BA)

Em seis anos, o programa de incentivo ao crédito Procaminhoneiro, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), viabilizou a troca de apenas 3% da frota de caminhões.

De 2006, ao ser lançado, até 2011, só 52.097 caminhões foram financiados pelo programa. A frota nacional é de 1,7 milhão de caminhões, com idade média de 13 anos, ao considerar apenas os transportadores autônomos, donos de 46% dos veículos.

Em 2010, seu melhor ano, o Procaminhoneiro financiou 22% dos veículos vendidos no país. Em 2011, foram só 4%.

Nesta semana, ao anunciar medidas para a economia, o ministro da Guido Mantega aumentou o prazo de financiamento do Procaminhoneiro de 96 para 120 meses. O principal entrave a esse crédito, contudo, não está no prazo nem no juro subsidiado, mantido em 5,5% ao ano.

Os autônomos dizem que não conseguem acessar a linha principalmente por dificuldades na comprovação da renda e no atendimento de outras burocracias exigidas por bancos de varejo que repassam o crédito do BNDES.

 

*Com informações da Folha de S. Paulo

COMMENTS