Ligação entre Estação Tamanduateí e São Bernardo é selecionada entre as obras do PAC 2

Obra orçada em R$ 4 bilhões terá recursos federais e fará a ligação entre os polos industriais e de serviços da Região Metropolitana de São Paulo e os municípios de São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Primeira etapa tem operação prevista pra 2015

Primeiras vigas do viaduto que marca início do Trecho Leste do Rodoanel foram lançadas
Alckmin diz que obras do Rodoanel Norte terão início na próxima semana
Aliança Navegação e Logística compra VW

O Governo Federal, por meio do Ministério das Cidades, anunciou a seleção do projeto de ligação por monotrilho entre a estação Tamanduateí na Linha-2 verde do Metrô ao município de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, como uma das obras do PAC de mobilidade urbana. O trajeto terá 20 quilômetros de extensão e 19 estações, que deverão ser percorridas em 35 minutos. Operação total da nova linha está prevista para 2016.

A Linha 18-Bronze, como será identificada, vai atender os bairros Jardim São Caetano e Mauá, em São Caetano do Sul; Vila Palmares, Sacadura Cabral, Vila Scarpelli e Jardim Bom Pastor, em Santo André. Passará, ainda, pelo Baeta Neves, Centro, Ferrazópolis e Alvarenga, em São Bernardo. A Linha 18-Bronze ainda terá mais quatro terminais integrados com o transporte público na ligação Tamanduateí, para atender de cerca de 400 mil usuários.

O novo trajeto atenderá os polos industriais e de serviços da Região Metropolitana de São Paulo, os municípios de São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. A obra também ligará importantes polos educacionais, com destaque para o Instituto Mauá de Tecnologia, UNIBAN, Faculdade de Medicina de Santo André, Faculdade de Engenharia Industrial – FEI, Fundação Santo André e a Universidade Municipal de São Caetano do Sul.

O projeto de financiamento do Estado de São Paulo, elaborado pela Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional, tem um valor total de R$ 4 bilhões, sendo que R$ 1,276 bilhão sairão de financiamento da Caixa Econômica Federal e mais R$ 400 milhões do Orçamento Geral da União. A contrapartida do Estado será de R$ 2,397 bilhões.

O projeto está dividido em duas partes, que ainda deverão passar pela avaliação do Ministério das Cidades e de técnicos da Caixa antes da assinatura definitiva do contrato:

Fase 1: Tamanduateí – Paço Municipal (SBC)

Com extensão de 14 km, é composta por doze estações (Tamanduateí, Goiás, Espaço Cerâmica, Estrada das Lágrimas, Praça Regina Matielo, Rudge Ramos-Instituto Mauá, Afonsina, Fundação Santo André, Winston Churchill, Senador Vergueiro, Baeta Neves e Paço Municipal) e pelo Pátio Tamanduateí para manutenção e estacionamento de trens.

A diretriz de traçado da Linha 18 – Tamanduateí – SBC (Alvarenga), inicia na Estação Tamanduateí, no Município de São Paulo, seguindo em direção ao eixo da Av. Guido Aliberti, servindo nessa avenida aos municípios de São Paulo e São Caetano do Sul. Na transição da Av. Guido Aliberti para a Av. Lauro Gomes, a diretriz de traçado passa a atender aos municípios de São Bernardo do Campo e Santo André, até a região do Paço Municipal de São Bernardo do Campo. Operação prevista para 2015.

Fase 2: Paço Municipal – Estrada dos Alvarengas (SBC)

Com extensão de 6 km, é composta por seis estações (Djalma Dutra, Praça Lauro Gomes, Ferrazópolis, Café Filho, Capitão Casa e Estrada dos Alvarengas) e pelo Pátio Alvarengas para estacionamento de trens. Nessa fase a diretriz de traçado se desenvolve dentro do Município de São Bernardo do Campo, partindo do Paço Municipal e seguindo pelo eixo da Av. Faria Lima até as proximidades do Terminal Ferrazópolis da EMTU/SP, onde inicia deflexão à direita, passando sobre a Via Anchieta e buscando o eixo da Av. Café Filho, em direção à Estação Estrada dos Alvarengas, próximo à Faculdade de Engenharia Industrial – FEI. Operação prevista para 2016.

O governador Geraldo Alckmin ressaltou que o monotrilho irá beneficiar a população do ABC e a Região Metropolitana de São Paulo. “É uma linha importante, são cerca de 19 estações, 20 km, e capacidade para 270 mil passageiros dia”, destacou.

Em fevereiro, a Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos (STM) iniciou processo de “chamamento público” para interessados da iniciativa privada apresentarem manifestação de interesse em realizar estudos de modelagem linha. O edital foi publicado no dia 2 de fevereiro, no Diário Oficial do Estado, pela STM e o Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas.

COMMENTS