Aeroporto de Schiphol, na Holanda, termina 2011 com crescimento modesto

Apesar do considerável recuo durante sete meses do ano, vice-presidente do terminal se diz contente por ainda apresentar aumento na movimentação de cargas em comparação a 2010

Boeing converte três 767 em cargueiros para empresa americana
Lufthansa oferecerá serviço de jatos privados também na América do Norte
Singapore Airlines firma encomenda bilionária de até 69 aeronaves Boeing

O aeroporto de Amsterdam Schiphol terminou o ano de 2011 com um modesto crescimento na movimentação de carga em comparação ao ano anterior: apenas 0,8%. Com essa marca, Schiphol se mantém na terceira colocação entre os aeroportos europeus de carga e com 13,9% de market share entre os top 10.

Schiphol registrou acréscimo de carga em cinco meses, mas apresentou declínio de até 7,2% nos outros sete. Os destaques das operações ficaram por conta da importação da América do Norte, com 136.065 toneladas (13,3%), exportação para as Américas Central e do Sul, com 83.941 toneladas (9,4%) e a exportação para o Oriente Médio – 108,770 toneladas (15,2%).

Apesar desse bom desempenho, a região dos leste da Ásia foi a que contribuiu para a desaceleração do crescimento no terminal holandês. Foram 286.769 toneladas exportadas (redução de 7,3%) e 322.843 toneladas de produtos importados (retração de 12,9%). No total, a movimentação de cargas somou 609.613 toneladas – recuo de 10,4%.

“O ano de 2011 começou prometedor, mas logo se mostrou um ano desafiador para as indústrias. Ficamos contentes em ainda conseguir atingir um crescimento em comparação a 2010 e que o nosso foi o único resultado positivo entre os três maiores portões de entrada na Europa”, afirmou Enno Osinga, vice-presidente sênior da divisão de carga do Aeroporto de Schiphol.

COMMENTS