Aeroporto de Schiphol, na Holanda, sofre queda na movimentação mas ainda se mantém à frente de 2010

Terminal é uma das principais portas de entrada de mercadorias do continente europeu. Houve aumento no tráfego entre o terminal e a América do Norte e África

Boeing converte três 767 em cargueiros para empresa americana
Airbus supera meta de encomendas para 2015
Delta e Virgin avançam em acordo por sociedade

O terminal de cargas do aeroporto internacional de Amsterdã, na Holanda, ainda está à frente de 2010, apesar de um resultado decepcionante para setembro. No mês, foram transportadas 123.284 toneladas – uma queda de 6% em comparação ao mesmo período de 2010 – com quedas no tráfego de e para Ásia (-15,8%), Oriente Médio (-6,3%) e América Latina (-4,7%). Estes foram parcialmente compensados ​​pelo aumento no tráfego de e para a América do Norte (7,4%) África (6,6%) e Europa (3,9%).

Apesar disso, nos nove primeiro meses de 2011, o montante de carga que passou pelo aeroporto foi de 1.133.773 de toneladas – valor 2,3% acima do que os mesmos meses do ano anterior.
 
Com o resultado, o terminal se mantém na terceira colocação na tebela de carga dos aeroportos europeus e continua sendo uma das principais alternativas de entrada e saída de mercadoria da Europa.

“Estamos muito satisfeitos que nosso tonelagens globais ainda estão à frente de 2010, como já sabíamos que seria um ano difícil de bater. Mas o que começou como um 2011 muito positivo está agora provando muito desafiador para a indústria, e os três últimos meses de 2011 não são susceptíveis de inverter a tendência recente de queda”, disse Enno Osinga, vice-presidente sênior do departamento de cargas de Schiphol.

COMMENTS