Montadoras voltam a acelerar produção de caminhões

Montadoras voltam a acelerar produção de caminhões

Crescimento foi de 13,1% no acumulado de 2011 com mais de 140 mil veículos que saíram das linhas de montagem. Líderes de mercado continuam os mesmos

Produção de veículos cai mais de 11% em 2016
Diretor da Mercedes-Benz assume presidência da Anfavea
Volkswagen lidera mercado de caminhões no Sul pela primeira vez

Aquela história de que agosto é o mês do cachorro louco e que os negócios tendem a não prosperar nesse período não se aplicou ao setor automotivo do País. As montadoras brasileiras de caminhões voltaram a pisar no acelerador, a produção dessa categoria de veículos voltou a aumentar acima do mês passado. Em agosto, de acordo com os números divulgados no final da semana passada pela Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) o indicador da atividade dessas montadoras apresentou alta de 13,1% no acumulado de janeiro a agosto deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. Em relação ao mesmo mês de 2010, a produção foi ainda maior, 20,2% a mais de caminhões saíram das linhas de produção nacionais.

Até o final do mês passado já foram produzidos 140.785 caminhões contra 124.439 veículos nesse mesmo período de 2010. Somente em agosto, chegaram ao mercado 21.991 veículos de carga. Em termos de unidades, os mais fabricados foram os caminhões dos segmentos semipesados e pesados, com 40.932 e 40.403 veículos, respectivamente altas de 19,6% e 20,2% em agosto de 2011 ante mesmo período do ano passado. Apesar disso, em termos percentuais, são os leves que continuam liderando em crescimento no ano, 20,2% nos oito meses que se encerraram no último dia 30.

Do total produzido, 75% foram efetivamente vendidos no Brasil, já que o número de licenciamentos foi de 16.454 no mês de agosto. Esse volume está seis pontos abaixo da média de 2011 que ficou em 81% do total fabricado. Mesmo com essa retração, os licenciamentos estão 16,2% acima do verificado em 2010.

MAN lidera o mercado

A MAN (que fabrica e comercializa a marca própria e os caminhões Volkswagen) mantém-se à frente com folga. No acumulado do ano vendeu 34.480 veículos ao mercado nacional, um crescimento de 23,2% quando comparado a 2010.

Iveco é a que mais cresce

Esse não é o maior crescimento percentual, este lugar é ocupado pela Iveco, com alta de 37,2%, que continua a aumentar sua fatia de mercado, mas que ocupa ainda a quinta posição entre as montadoras, com 9.474 caminhões.  Em segundo lugar está a Mercedes-Benz, com 28.341 veículos, alta de 7,1%, e em terceiro aparece a Ford, com 20.163. Em quarto está a Volvo, com 12.368 unidades. A Scania é a única que viu a produção cair (9,9%) em comparação a 2010 e está em sexto lugar no mercado brasileiro.

Dentre os segmentos que puxaram as vendas estão os semipesados, com elevação de 27,4%. Uma parte importante desse crescimento pode ser atribuído justamente à Scania, que agora começa a entregar os veículos dessa categoria. A alta foi de incríveis 8.000%, porque a montadora sueca havia entregue apenas uma unidade em 2010 e neste ano já soma 81 veículos vendidos.Os semileves aparecem com o segundo maior crescimento em comparação a 2010 com 19,5%, seguido dos leves com 16,6% de vendas a mais. Apesar disso em número de unidades comercializadas os semipesados são os mais vendidos com 39.120 caminhões no ano e os pesados aparecem logo a seguir com 35.590 veículos, crescimento de 9,6% ante 2010.

Ônibus e automóveis

Na categoria para transporte de passageiros (incluindo chassis), as vendas consolidadas do semestre avançaram menos. Enquanto no mês de julho o crescimento anual tinha sido de 21,4%, com quase 19 mil unidades, em agosto os números registraram desaceleração do crescimento, com alta de 18,9% e vendas de pouco mais de 22 mil veículos. As líderes de mercado continuaram sendo a Mercedes e a MAN, que dominam 77% desse mercado. Nada mudou quanto ao crescimento percentual com a Iveco apresentando uma alta um pouco mais modesta que em julho, mas mesmo assim, uma expansão expressiva de 198,4%.

Já em automóveis, a produção de agosto foi de 325,3 mil unidaes, alta de 5,5%. No consolidado do ano, a alta voltou a subir, 4,4% na comparação entre os oito meses de 2011 ante 2010. Os licenciamentos, por sua vez, avançaram menos, 8% nessa mesma base de comparação contra 8,6% registrado em 2011 até julho.

A Fiat continuou como a marca mais vendida do ano com 394.053 unidades, que representam 22,8% do mercado. Em segundo lugar está a alemã Volkswagen com 389.756 carros comercializados, volume que corresponde a 22,5% do total licenciado no Brasil. Em terceiro lugar está a GM, com 343.932 mil veículos e, em quarto, a Ford, com 162,5 mil unidades novas comercializadas. No total, foram vendidos 1.732. 360 carros de janeiro a agosto de 2011.

COMMENTS