TAM divulga resultados de abril a junho

Companhia aérea alcançou lucro líquido de R$ 60,3 milhões; lucro operacional EBIT foi de R$ 15,6 milhões e receita operacional bruta obteve acréscimo de 16,5%

ATR entregará aeronave cor-de-rosa à Azul para promover combate ao câncer de mama
Anac notifica GOL por falha no sistema de check-in
Companhia aérea japonesa apresenta avião inspirado em Star Wars

No fechamento do segundo trimestre de 2011, a companhia aérea TAM alcançou lucro líquido de R$ 60,3 milhões, revertendo assim o quadro negativo obtido no mesmo período de 2010, quando foi registrado um prejuízo líquido da ordem de R$ 174,8 milhões.

De abril a junho, o lucro operacional EBIT foi de R$ 15,6 milhões, com margem de 0,5%, contrapondo-se ao EBIT de R$ 1,4 milhão, com margem de 0,1%, registrado no segundo trimestre do ano passado. Em relação à receita operacional bruta, o acréscimo foi de 16,5%, para R$ 3,2 bilhões, também na comparação anual, sendo que R$ 2,3 bilhões correspondem às receitas com passageiros, que aumentaram 8,2%.

O que se destacou no período foi a expansão de 18,2% no faturamento com passageiros de voos internacionais, para R$ 865,4 milhões. Nas operações para o exterior, a companhia registrou um saldo positivo de 5,1% na taxa de ocupação (load factor), que atingiu 81,4% no resultado final do trimestre.

A TAM transportou 9,6 milhões de passageiros pagantes no período, o que significa uma média diária de 911 voos no segundo trimestre, 13% acima dos mesmos três meses de 2010.

As operações domésticas e internacionais, juntas, atingiram taxa de ocupação de 73,9%, resultado 6,8% acima do registrado no segundo trimestre do ano passado.

O crescimento das taxas de ocupação e do número de passageiros pagantes transportados compensou a redução de 7,8% no yield geral (preço médio pago por passageiro em cada quilômetro voado) no segundo trimestre. Nas operações internacionais, o yield em reais diminuiu 2,4% e em dólar cresceu 9,6%. Já o doméstico teve queda de 21%. Essa diminuição é reflexo do sucesso da campanha de varejo, iniciada pela companhia em agosto de 2010, que incentiva passageiros sensíveis a preço a voarem fora do horário de pico. Esse resultado pode ser observado no aumento, entre abril e junho, do load factor em voos realizados das 10h às 16h e das 21h às 7h. No segundo trimestre do ano passado, a ocupação média caía 7 pontos percentuais fora dos horários de maior movimento. No mesmo período deste ano, a queda foi de apenas 4 pontos percentuais. Além disso, o primeiro semestre foi marcado por várias ações promocionais em função da dinâmica concorrencial.

Também merece destaque nos resultados do segundo trimestre de 2011 o forte crescimento de 92,4% em outras receitas operacionais, que chegaram a R$ 540,9 milhões. A expansão foi influenciada principalmente pelo aumento de 285% na receita do Multiplus Fidelidade, que registrou faturamento de R$ 265,9 milhões no período.

“Os valores alcançados com receitas adicionais atestam o acerto de nossa estratégia de diversificação dos negócios. Nosso objetivo é construir um grupo de multinegócios relacionados à aviação para diversificar nossas fontes de receita”, comenta Marco Antonio Bologna, presidente da TAM.

COMMENTS